PSD de Guimarães propõe um milhão de euros de apoio do município à restauração

Foto: Rui Dias

Em comunicado, os sociais-democratas vimaranenses vêm lembrar que em abril deste ano defenderam que o Município de Guimarães “deveria apoiar o setor do comércio tradicional, restauração e similares através da criação de um Fundo de Apoio à Economia Local.




Com este Fundo os apoios surgiriam sob a forma de empréstimos, até 20 mil euros, sem juros, com prazos de reembolso de cinco a dez anos e período de carência de capital de um ano. Esta seria uma medida de apoio complementar às medidas nacionais, onde se deveria garantir um acesso rápido e fácil, particularmente destinado a socorrer a tesouraria das microempresas.”

Na altura, a maioria Socialista rejeitou esta proposta, referindo ser “ilegal”. Segundo Ricardo Araújo, que assina o comunicado, “Afirmaram que a Câmara não pode subsidiar empresas por um lado, e por outro, anunciaram que estaria para breve “a criação de um fundo que dá resposta às dificuldades de tesouraria das empresas, e que Guimarães pretende que tenha âmbito regional”, que estaria a ser preparado com o Governo.”

Passados seis meses sobre estas declarações os sociais-democratas questionam o Presidente da Câmara sobre se “continua a considerar ilegal a proposta do PSD para a criação de um fundo Local, quando assistimos à implementação de propostas semelhantes por outros Municípios, nomeadamente com Câmaras do Partido Socialista (Lisboa, Sintra)?”

O PSD questiona também o edil vimaranense sobre “O que é feito do tal Fundo que o Presidente da Câmara e o Vereador do Desenvolvimento Económico referiam em abril como estando para breve?”

Considerando o “acelerar da degradação económica e financeira das empresas do setor da Restauração local, em resultado das medidas decretadas pelo Governo para tentar inverter o agravamento da situação pandémica, que afetaram em especial este setor”, o PSD vem defender e propor a criação pelo Município de Guimarães:

 Apoio específico às empresas de restauração sediadas em Guimarães, a fundo perdido, sem dívidas AT, SS e CMG, com volumes de negócio até 300 mil euros e quebras de faturação, entre janeiro e setembro, acima de 25% face ao ano anterior.

O volume total do Programa proposto é de um milhão de euros, com pagamento em duas tranches, em dezembro de 2020 e março de 2021:




  • Empresas com volume de negócios entre 200 mil euros e 300 mil euros – Apoio de 6000 euros
  • Volume de negócios entre 100 e 200 mil euros – Apoio de 5000 euros
  • Volume de negócios até 100 mil euros – Apoio de 4000 euros;

O PSD sugere que a Câmara de Guimarães crie para este efeito “um site específico, simples e de fácil registo pelos empresários, de forma a garantir um processo rápido e eficaz no apoio ao setor da Restauração.”

Os sociais-democratas, lamentam, por fim, que “passado todo este tempo, sobre um problema que já se antecipava na primavera passada, ainda não haja uma solução por parte da Câmara Municipal de Guimarães. Embora já seja tarde para algumas empresas, é ainda tempo de salvar algumas delas e com isso muitos postos de trabalho. Uma vez que a Câmara não teve a capacidade de agir no tempo certo, esperamos que seja agora capaz de reagir.”

©2021 MAIS GUIMARÃES - Super8

Fazer login com suas credenciais

Esqueceu sua senha?