QUANDO A ESMOLA É GRANDE, ATÉ A POLÍCIA DESCONFIA

Por José da Rocha e Costa,

Gestor de Empresas

Há algumas semanas atrás, escrevi neste espaço de opinião sobre a forma autoritária como a autoridade tributária portuguesa se dirige aos cidadãos. Pois bem, a verdade é que quando comparados com os alemães, somos uns meninos de coro, até nos assuntos da tributação. Admito que tal constatação não traga grande espanto, já que autoritarismo e tributação são duas palavras que os governantes alemães costumam apreciar.

Senão vejamos: no passado mês de Fevereiro, a imprensa alemã dava conta de uma decisão tomada pela autoridade tributária da cidade de Ahlen, em que um animal de estimação foi confiscado aos seus donos, por estes terem uma dívida pendente. Pelos vistos, a ideia inicial das autoridades era ficarem com a cadeira de rodas do senhor (que padece de uma deficiência) mas como a cadeira pertencia ao seguro, optaram por levar Edda, uma cadela da raça pug que, por ter pedigree, também teria algum valor do ponto de vista comercial.

Ainda nós achávamos que a Sra. Merkel e o Sr. Schauble eram credores impiedosos, que não se importavam de ver o povo português em dificuldades só para equilibrar as contas públicas. Eu diria que até nos trataram com alguma parcimónia quando comparado com a forma como tratam os seus próprios concidadãos. Em Portugal já se penhoraram todo o tipo de coisas, incluindo retretes, mas animais de estimação nunca vi. Até porque isso seria um disparate. Quem quiser um cão ou um gato, basta esperar pelas férias de Verão, quando os donos vão para a praia e se “esquecem” dos bichos no meio da rua.

Mas voltando à estória de Edda e do senhor da cadeira de rodas: ao que parece, depois de terem confiscado a cadela, as autoridades decidiram coloca-la à venda no ebay por 750 euros, o que, segundo a notícia, corresponde a metade do valor que costuma ser pago por um cão com estas características. A senhora que a comprou, uma polícia chamada Michaela Jordan, pensou que tinha encestado um triplo (passe a referência basquetebolística), mas ficou muito incomodada ao constatar que Edda tem problemas de saúde que lhe omitiram e já teve de ser operada quatro vezes a problemas oculares. Agora, quer ser indemnizada pelas autoridades da cidade em cerca de 1800 euros, que diz ter sido o valor que gastou com as operações. É caso para dizer: Para autoridade, autoridade e meia…

Perante a bizarria desta estória, a imprensa alemã decidiu contactar os antigos donos de Edda, que criticaram dois fiscais da câmara e um oficial de justiça pela forma “totalmente errada” como o processo decorreu e como atuaram em sua casa. Acrescentaram ainda os donos que embora saibam que a cadela “está em boas mãos”, os seus três filhos sentem saudades dela.
Sendo que devolver a cadela agora não vai adiantar muito, já que está mais do que visto que os seus antigos donos não possuem os meios para ressarcir a senhora Jordan pelas operações que ela pagou, acho que a melhor forma de resolver a situação seria as autoridades confiscarem os 3 filhos do casal e coloca-los também à venda no ebay. Contudo, tendo em conta o facto destes personagens serem filhos do senhor da cadeira de rodas, não seria de estranhar que também estes viessem a revelar mais tarde algum defeito oculto.

0 Comentários

Envie uma Resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

*

©2020 MAIS GUIMARÃES - Super8

Fazer login com suas credenciais

Esqueceu sua senha?