RESISTÊNCIA CÓNEGA DUROU ATÉ AOS 70 MINUTOS EM ALVALADE

Moreirense ainda ameaçou em Alvalade, mas não conseguiu trazer qualquer ponto para Guimarães.

O Moreirense tinha uma montanha difícil para escalar já que nunca tinha ganho em Alvalade. Esta época a história não foi diferente e os cónegos voltam para Guimarães com uma derrota (1-0). Os cónegos foram conseguindo suster as ameaças do Sporting, mas acabaram por sucumbir a 20 minutos do final da partida.

Em equipa que ganha não se mexe e Vítor Campelos apresentou, em Alvalade, o mesmo “onze” que defrontou o Aves . Numa primeira parte em que o Moreirense ainda ameaçou a baliza adversária, o Sporting esteve por cima e as estatísticas comprovam-no: os leões tinham vantagem nos remates (15-3) e na pose de bola (65%-35%).

Uma das melhores oportunidades da partida no primeiro tempo até foi dos cónegos. Luther Singh apareceu isolado, frente a Max, mas o jovem guardião faz bem a mancha e não permite que o marcador mexa. E também foi do Moreirense uma das boas oportunidades do segundo tempo: Luís Machado solicita Fábio Abreu e o avançado angolano – que bisou na última jornada -, cabeceia para uma intervenção inspirada de Max.

Mas foi o Sporting a ganhar vantagem pouco tempo depois. Também de cabeça, Luiz Phellype responde da melhor forma a uma solicitação de Mathieu e, com um cabeceamento potente, inaugura o marcador aos 70′. A situação iria piorar para a turma de Vítor Campelos, já que cinco minutos depois o central Iago iria ver o segundo amarelo.

A jogar com dez, o Moreirense não conseguiu ameaçar a baliza adversária da forma como conseguiu (a espaços) fazer durante a primeira metade da partida. O Moreirense põe, assim, fim a uma série de cinco jogos a pontuar.

©2020 MAIS GUIMARÃES - Super8

Fazer login com suas credenciais

Esqueceu sua senha?