SETOR DO TÊXTIL EM MUDANÇA DEVE REFORÇAR APOSTA NA INOVAÇÃO

@ Direitos Reservados

Inovação e capacidade de adaptação são, na perspetiva do Secretário de Estado da Economia, os fatores chave para o setor do têxtil em Portugal. João Neves visitou esta manhã a FModa, empresa situada na freguesia de Brito, reunindo-se depois com a Comunidade Intermunicipal do Ave, na sua sede. Domingos Bragança esteve presente nos dois momentos, defendendo igualmente que a evolução tecnológica será fundamental para o desenvolvimento das empresas.

Num setor de grande importância para o concelho de Guimarães e para toda a zona do Vale do Ave, a capacidade de procurar novas soluções e encontrar novos mercados de exportação é vista como a chave para um futuro de sucesso, dentro e fora de portas. A mão de obra qualificada e salários mais altos deverão ser uma realidade, de modo a que as empresas portugueses se consigam afirmar perante a concorrência. “O traço mais caraterístico das nossas empresas é a capacidade de adaptação. A flexibilidade para os seus clientes, mas também para responderem às alterações do mercado. Nós já tivemos altos e baixos e sempre conseguimos construir novas soluções. É isso que está a acontecer aqui na região, tentar reconstruir capacidades competitivas incorporando inovação, serviço, qualificações mais justas. Ou seja, construindo empresas mais sólidas, teremos todas as condições para também abordar as mudanças do mercado”, afirmou João Neves.

O trabalho conjunto entre os agentes económicos e o Governo será também decisivo para uma abordagem mais eficaz, uma vez que há apoios a que as empresas podem recorrer para conseguirem implementar novas formas de trabalho. “O governo tem, primeiro, de trabalhar em conjunto com os agentes económicos. Encontrar soluções, em conjunto, para os problemas e afirmar as nossas empresas. Esse é o ponto de partida e esta visita é demonstrativa disso: a proximidade não só aos autarcas mas também aos agentes económicos de uma forma direta.

Domingos Bragança realçou um setor em mudança, no concelho de Guimarães, que tem demonstrado a capacidade de fazer uma correta análise do mercado e de encontrar os caminhos corretos a seguir. “Um perfil com maior conhecimento técnico, empresários com abordagens cosmopolitas e globais, o que nos dá garantia de que vamos conseguir ter um futuro melhor”, admitiu o presidente da Câmara Municipal de Guimarães.

A reportagem completa para ler na próxima edição do Mais Guimarães, nas bancas na próxima quarta-feira, 20 de fevereiro.

0 Comentários

Envie uma Resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

*

©2019 MAIS GUIMARÃES - Super8

Fazer login com suas credenciais

Esqueceu sua senha?