TÊXTEIS LAR COM QUEBRA NA PRODUÇÃO

A deputada do PCP, Carla Cruz, reuniu esta manhã com a direção da Anitlar – Associação Nacional das Indústrias Têxteis Lar, com vista a discutir a situação atual do setor, tanto a nível concelhio como nacional.

Depois de meses com bons resultados, quer a nível de produção quer a nível de valores, o setor dos têxteis lar está, desde dezembro de 2018, a ultrapassar um período de quebra, algo que tem alertado os intervenientes nessa indústria. “Nós viemos cá para percebermos a situação do têxtil-lar. Têm-nos chegado algumas informações relativamente a algum abrandamento e a algumas situações de preocupação neste setor e, portanto, aquilo que foi confirmado foi que até de novembro de 2018 o setor estava a trabalhar bem mas, de lá para cá, há indicação de mais dificuldades, que decorrem fundamentalmente de uma deslocalização para a Turquia. Há uma situação económica na Turquia, em que desvalorizou 60% a sua moeda, o que fez com que muitas empresas portuguesas se ressentissem. Há indicação de que de dezembro até agora há uma baixa. O que nos foi dito é que até novembro se trabalhou muito bem, quer a nível de produção quer de valores. A partir daí, o fenómeno Turquia e a incerteza quanto ao processo do Brexit terá criado aqui uma situação de abrandamento na produção, associado a uma diminuição no investimento.”, começou por explicar Carla Cruz.

Este foi um tema já abordado pelo PCP no final do ano, mas a deputada garante que vão voltar ao tema, uma vez que é importante que haja uma aposta na produção nacional, sendo esse um dos setores tradicionais de destaque. “Relativamente à situação do têxtil lar, e como já é conhecido, o PCP fez uma intervenção em finais de dezembro junto do ministério e vamos continuar a acompanhar esta situação, porque de facto estamos a falar de um setor que é fundamental para o Vale do Ave, mas também para o país. É um setor que temos de apoiar, que o país tem de apoiar. O PCP tem sempre dito e tem defendido que é importante fazermos aposta na produção nacional e essa aposta é efetivamente nos setores tradicionais”, admitiu Carla Cruz.

A reunião entre a deputada e a direção da Anitlar serviu ainda para a discussão de outras questões que também têm sido objeto de intervenção por parte do grupo parlamentar. “A par disso foram colocadas outras questões, nomeadamente a questão da taxa do subsolo e a questão dos tratamentos dos efluentes, matérias que iremos analisar e verificar de forma podemos intervir”, concluiu Carla Cruz.

 

 

0 Comentários

Envie uma Resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

*

©2019 MAIS GUIMARÃES - Super8

Fazer login com suas credenciais

Esqueceu sua senha?