Trabalhadores da Fersali pedem suspensão de contrato

Em comunicado, o Sindicato do Calçado, Malas e Afins Componentes, Formas e Curtumes do Minho e Trás-os- MONTES faz saber que um grupo de 41 trabalhadores pediu a suspensão do contrato de trabalho na empresa Fersali – Ind. de Calçado, pelo facto de a empresa, até à presente data, não ter pago parte do salário do mês de Março e de Abril e o salário dos meses de Maio e Junho, nem ter perspectivas de quando irá proceder ao seu pagamento.

Ainda segundo o sindicato, a empresa apresenta dificuldades desde Março de 2019, pelo que no início de Junho de 2020 a remeteu a todos os trabalhadores uma carta onde indica a intenção de proceder a um despedimento colectivo.

O sindicato indica que houve uma primeira reunião com os representantes da empresa, representantes dos trabalhadores e a DGERT, no dia 23 de junho,para proceder ao despedimento colectivo. Nessa reunião, ainda segundo o sindicato, a empresa ficou de enviar elementos para dar continuidade ao processo. Como até à presente data a empresa não remeteu nada aos trabalhadores, nem aos elementos da comissão; não pagou o salário do mês de Maio; não sabe quando pagara o salário do mês de Junho e desconhece se retomará a actividade laboral os trabalhadores, estes perante uma situação de extrema dificuldade económica, viram-se obrigados a solicitar a suspensão do contrato de trabalho, informa o comunicado do sindicato.

©2020 MAIS GUIMARÃES - Super8

Fazer login com suas credenciais

Esqueceu sua senha?