Tratamentos termais continuam a ser comparticipados

Nas votações da especialidade do Orçamento para a área da saúde, o deputado vimaranense do Partido Socialista, Luís Soares, defendeu a importância do termalismo para a saúde e para as economias locais em territórios do interior.

Depois de na especialidade ter relembrado a importâncias de prolongar o projeto piloto que vigorou em 2019 e em 2020 e que repôs a comparticipação dos tratamentos termais, regime que tinha sido suspenso pelo Governo PSD/CDS desde o ano de 2011, os Deputados do Partido Socialista apresentaram proposta de alteração do Orçamento que prevê a manutenção da comparticipação dos tratamentos termais para o ano de 2021.




Luís Soares já tinha explicado que “de acordo com os dados do setor o ano de 2019 foi, desde 2010, o ano em que se registou pela última vez o anterior sistema de comparticipações dos tratamentos termais, em que se registou pela primeira vez um crescimento do número de termalistas e também do volume de negócios em cerca de 15%” e agora leva a aprovação proposta que permite manter a comparticipação dos tratamentos termais o que constitui uma medida “importante para a defesa do termalismo e para as economias locais em territórios do interior”.

©2021 MAIS GUIMARÃES - Super8

Fazer login com suas credenciais

Esqueceu sua senha?