Tun’Obebes recorda a sua história trazendo “Memórias” ao XIII Serenatas ao Berço

Nos passados dias 22 e 23 de abril a Tun’Obebes – Tuna Feminina de Engenharia da Universidade do Minho – apresentou, dois anos após a última edição, o XIII Serenatas ao Berço, na cidade de Guimarães.

© Direitos Reservados

O festival de tunas femininas regressou com o tema “Memórias”. Começou no dia 22, pelas 21h30, nas Arcadas da Praça da Oliveira com as famosas serenatas à cidade.

Estiveram presentes a Tesuna- Tuna Feminina da Escola Superior de Saúde do Porto, a TFIPCA- Tuna Feminina do Instituto Politécnico do Cávado e do Ave, a TFAAUAv- Tuna Feminina da AAUAv, a Tuna Sadina- Tuna Feminina da Escola Superior de Educação do Instituto Politécnico de Setúbal e extra-concurso, a Tun´ao Minho- Tuna Académica Feminina da Universidade do Minho. Tratou-se de uma noite “marcada pela chuva intensa, combinada com encantadoras harmonias, em melodias serenas, que aqueceram os corações de amigos e familiares ou meros desconhecidos que a elas se juntaram”, descreve a tuna em comunicado.

Seguiu-se a noite de sábado, noite de espetáculo. Pelas 21 horas teve início aquilo que classificam como “uma deslumbrante performance tunal e um sentimento de nostalgia assolou o palco”. A tuna da casa abriu o espetáculo com o momento que viria a dar início a uma homenagem a um dos seus membros. Com a apresentação levada a cabo pelos Jogralhos, os intervalos entre as atuações foram dotados de um tom leve e cómico, graças ao humor lírico que lhes é característico. Excertos de vídeo de atuações das primeiras gerações da tuna, marcaram também estas pausas, tendo sido feito um recontar da história da Tun´Obebes. Para além destas, contaram com a habitual presença da tuna vizinha, a Afonsina- Tuna de Engenharia da Universidade do Minho.

“Quase depois das dozes badaladas”, a Tun´Obebes tomou o palco, vestidas de tijolo e preto, num “ambiente imerso em memórias, pelas fotografias que se encontravam na decoração”. Com o tema “Saudade” de Maro deram início à sua prestação, com um toque “extremamente sentimental, que não deixou o público indiferente”. Com vista a enaltecer as “magníficas memórias que as caracterizam”, trouxeram a palco temas que a elas remetem, como o “Capas Negras”, no qual se revêem.

No momento da entrega dos prémios, a TFAAUAv destacou-se levando quatro prémios para casa, incluindo o galardão de Melhor Tuna. Seguiu-se a TFIPCA, a Tuna Sadina e a Tesuna. Para terminar o festival, seguiu-se um convívio entre todas as tunas no Bar Académico de Guimarães.

Tendo recuperado o fôlego após o “evento do ano”, a Tun´Obebes diz estar preprada para continuar o seu caminho, com agenda preenchida. “Estão, portanto, ansiosas para continuar a fazer chegar a sua música e energia aos ouvidos de quem já as conhece e aos daqueles que as ouvirão pela primeira vez”, referem. 

©2022 MAIS GUIMARÃES - Super8

Fazer login com suas credenciais

Esqueceu sua senha?