Vacinação indevida contra a Covid-19 pode levar a sanções

O secretário de Estado da Saúde, Lacerda Sales, adiantou que serão promovidas audições a nível nacional para analisar os casos de vacinação fora dos critérios estabelecidos no plano nacional.

Têm-se multiplicado os casos de pessoas que foram vacinadas indevidamente, ou seja, sem respeitar os critérios definidos, situações que o secretário de Estado da Saúde diz serem “inaceitáveis”, sendo que a “tolerância é zero nessas matérias”. 

António Lacerda Sales considerou “inaceitável” os desvios de vacinas contra a covid-19 para pessoas que não fazem parte dos grupos de prioridade definidos pelos plano de vacinação.

Durante esta semana serão promovidas, através da Inspeção-Geral das Atividades em Saúde, “auditorias no âmbito nacional”, para averiguar os casos de vacinação indevida, adiantou em declarações transmitidas pelas televisões. “Há procedimentos que terão sanções ao nível disciplinar ou criminal, se durante a sede de inquérito tal se provar”, explicou Lacerda Sales.

Para fazer face a estas situações, a task force decidiu ainda reforçar as orientações para listas suplementares, que seguem os critérios definidos, para quando sobrarem doses, salientou.

Contudo, tal como tinha já indicado o coordenador da task force, aqueles que tiveram a primeira dose da vacina contra a Covid-19, mesmo quando não era devido, vão receber a segunda dose.

©2021 MAIS GUIMARÃES - Super8

Fazer login com suas credenciais

Esqueceu sua senha?