VALINHA INTERROMPE ATIVIDADE DESPORTIVA

Uma paragem por tempo indeterminado é o presente do GD Valinha. Sem interessados em assumir os cargos da direção do clube e substituir os elementos em funções há alguns anos, a atividade desportiva vai mesmo ser interrompida, pelo menos nesta época desportiva. Da parte da Junta de Freguesia, há projetos para as instalações, para que os espaços continuem a ser aproveitados para lazer e desporto.

@ Direitos Reservados

É um dos clubes históricos de Guimarães e vai deixar de ter atividade desportiva ao longo desta época. Depois de 25 anos em funções, esta é uma pausa que não tem tempo determinado.
Os problemas em encontrar interessados em assumir funções administrativas no GD Valinha já não é de agora. Em competição na 1.ª divisão da AF Braga e sempre com atletas a assegurar os jogos, a direção há muito era a mesma, com falta de substitutos para o cargo.

“O GD Valinha foi uma associação que, ao longo dos últimos 25 anos, teve movimento, fez o seu trabalho social e desportivo. Já há quase uma década que tinha dificuldades em ter dirigentes para continuar a sua caminhada e neste momento tomaram a decisão de cessar as suas funções durante algum tempo. Isso deixa-nos tristes, mas aguardamos por melhores dias”, explicou Carlos Oliveira, presidente da Junta de Freguesia de Polvoreira.

Paulo Costa, líder da comissão administrativa que cessou atividade, ocupava o cargo há alguns anos e optou agora por entregar as chaves das instalações de que o clube dispunha e que pertenciam à Junta. Da parte de Carlos Oliveira, garantiu o autarca, não havia muito a fazer, sendo que todo o apoio possível foi sempre dado e que a gestão do clube não passa pelas competências daquela entidade.

“A Junta de Freguesia dá o apoio total ao clube, mas a nível orgânico são eles que têm de se organizar. Nós apoiamos naquilo que podemos apoiar e foi isso que fizemos ao longo destes anos todos. Tanto que apoiamos, que eles estavam a usar as instalações que são da junta. E neste momento já entregaram as chaves dessas instalações e estamos a tentar recuperá-las, esperando que daqui a uns anos tudo volte à normalidade”, admitiu o presidente Carlos Oliveira.

Com vários dos elementos do clube a não serem ou não residirem em Polvoreira, muitos acabaram por criar uma ligação à freguesia, ligação essa que da parte da Junta se espera que seja para manter. “Os associados são de várias freguesias, alguns nasceram cá e entretanto saíram e já estão a viver noutros locais, outros enraizaram-se na estrutura do Valinha e faziam parte da direção e não viviam na freguesia mas ao longo dos anos iam estando ligados cá”, frisou Carlos Oliveira.

Com as chaves das instalações utilizadas pelo emblema em sua posse, nomeadamente do campo, bar e balneários, o presidente local admite ter projetos para os espaços, projetos esses que haviam sido trabalhados também com a direção do Valinha.

“Nós já tínhamos um projeto, que estava a ser trabalhado com a anterior comissão administrativa, é um projeto mais alargado à parte do lazer, para fugirmos um pouco ao desporto, mas que enquadrava bem com as duas valências e vamos seguir com ele”, concluiu Carlos Oliveira.

Apesar desta cessação de funções, o futuro do GD Valinha continua apenas em estado indefinido, não significando necessariamente um fim. Para esta época, isso é certo, a atividade desportiva do clube de Polvoreira está suspensa.

0 Comentários

Envie uma Resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

*

©2018 MAIS GUIMARÃES - Super8

Fazer login com suas credenciais

Esqueceu sua senha?