Alta velocidade: Oposição fala em “resignação” mas Bragança garante luta “constante e intensa”

Depois de ter manifestado “preocupação e descontentamento” pelo facto de Guimarães estar fora da Linha de Alta Velocidade, através de um comunicado às redações, Ricardo Araújo abordou o tema na reunião do executivo municipal desta quinta-feira.

© Mais Guimarães

O vereador da Coligação Juntos por Guimarães reiterou que o projeto apresentado “não corresponde aos interesses e expectativas da cidade” e defende que a estação de alta velocidade esteja localizada de forma equidistante entre os concelhos de Braga, Famalicão e Guimarães, que são as cidades com maior concentração populacional e industrial a seguir ao Porto.

Assim, referiu que “não se trata de bairrismo exacerbado”, mas sim de “defender o que é melhor para Guimarães e para o país”.

Defendendo que a atual localização, a noroeste de Braga, faz desta cidade cada vez mais um “eixo central”, o atual líder da concelhia do PSD disse sentir “alguma resignação” e incitou Domingos Bragança a continuar a lutar e exercer influência em prol de uma localização mais benéfica para a cidade-berço.

Por sua vez, Domingo Bragança afirmou que essa equidistância mencionada também é sua pretensão. Ainda assim, “não basta querer”. “É preciso fundamentar tecnicamente porque este plano ferroviário já está a ser trabalhado há mais de 30 anos”, lembrou o edil vimaranense, que propõe que todos os partidos políticos e protagonistas sociais e económicos “em vez de falarem em desânimo, falem naquilo que será sempre a nossa fundamentação, para que, em conjunto, defendamos a ligação de Guimarães à alta velocidade”.

Tal como referiu durante a reunião do executivo municipal, trata-se de uma luta “constante e intensa”. O autarca lembrou ainda que esteve reunido com o vice-presidente da Infraestruturas de Portugal, na passada semana, e que durante a apresentação do projeto a cidade de Guimarães foi referida um par de vezes. Assim, garante que vai “há muito caminho e muitos obstáculos a vencer”.

Além disto, o presidente da Câmara Municipal de Guimarães recorda que o Aeroporto Francisco Sá Carneiro esta situado na Maia, e dada a importância de recolher estes passageiros, levou a linha um pouco mais para o litoral. “Queremos trazer do aeroporto ao mais interior possível de forma a garantir esta equidistância”, completou.

Relativamente à ligação à futura estação de alta velocidade, Domingos Bragança garantiu que o ministro das Infraestruturas, Pedro Nuno Santos, aceitou trabalhar em projeto este troço por eixo ferroviário e adiantou também que tem estado em contacto com a Infraestruturas de Portugal”.

“Este é um projeto de Guimarães inteiro, mas também de toda a CIM do Ave e de vários concelhos limítrofes. É toda uma região interior a Guimarães”, acrescentou.

©2022 MAIS GUIMARÃES - Super8

Fazer login com suas credenciais

Esqueceu sua senha?