Ambulâncias de socorro ficam “presas” no Hospital de Guimarães

Comandantes de algumas corporações de bombeiros da região do Norte queixam-se do demasiado tempo que as ambulâncias de socorro ficam retidas junto ao serviço de urgências do Hospital Senhora da Oliveira, em Guimarães.

O principal motivo identificado como gerador desta demora está na triagem que é feita aos doentes quando chegam à unidade hospitalar vimaranense. Segundo Rafael Silva, Comandante dos Bombeiros Voluntários das Taipas esta situação decorreu entre os dias 30 de outubro 03 de novembro. “Hoje a situação já está normalizada”, segundo Rafael Silva.

“É uma situação normal e contínua, porque são picos de afluência que acontecem e já aconteciam nos outros anos no inverno”

Bento Marques, Comandante da Corporação de Bombeiros de Guimarães

Já para Bento Marques, Comandante da Corporação de Bombeiros de Guimarães esta é “uma situação normal e contínua, gerada pelos picos de afluência que acontecem e já aconteciam nos outros anos no inverno, por causa da gripe sazonal e agora com a pandemia atrasa-se mais”, revela ao Mais Guimarães.

Ainda de acordo com o comandante, “o que complica mais são as desinfeções das ambulâncias e prepará-las para receberem os doentes seguintes”. Bento Marques disse também que existe muita gente a recorrer ao hospital sem necessidade.

Esta situação agrava-se para as corporações mais distantes do Hospital Senhora da Oliveira, como é o caso dos Bombeiros de Cabeceiras de Bastos, que se distam a cerca de 50 quilómetros de distância e 40 minutos de viagem até esta unidade hospitalar. “Se a ambulância estiver, como tem estado, entre uma hora e hora e meia parada em Guimarães isso, para nós, significa um serviço de mais de três horas”, lamentou Duarte Ribeiro, comandante, em declarações àquele jornal.

“Na nossa área de atuação conseguimos dar conta do recado”

Rafael Silva, comandante dos Bombeiros das Taipas

Com os problemas resultantes da retenção das viaturas de socorro, os Bombeiros das Taipas “tentaram rentabilizar o máximo possível os nossos meios, e na nossa área de atuação conseguimos dar conta do recado. As únicas emergências recusadas foram as de fora de área”, revela o comandante.

Segundo o Jornal de Notícias, os comandantes dos Bombeiros de Fafe, Guimarães, Taipas, Vizela, Riba de Ave e Cabeceiras de Bastos solicitaram uma reunião com a administração do Hospital Senhora da Oliveira, na segunda-feira 02 de novembro, para tentar encontrar uma solução de forma a libertar mais rapidamente as ambulâncias.

Em conversa com o Mais Guimarães, Bento Marques diz não ter conhecimento desta reunião: “eu não pedi reunião nenhuma, isto é uma situação normal nesta altura do ano”. Já Rafael Silva diz que a reunião foi solicitada e estão a aguardar resposta, contudo não foi pelo seu intermédio.

©2021 MAIS GUIMARÃES - Super8

Publicidade

Fazer login com suas credenciais

Esqueceu sua senha?