ARMANDO GUIMARÃES

Nome completo
Armando Jorge Teixeira Fernandes Guimarães

Nascimento
01 de agosto de 1977, Guimarães

Profissão
Consultor

Herdou o lado humanístico da sua avó e assim tem percorrido um longo caminho na área da Ação Social. Armando Guimarães é vimaranense, vitoriano e viveu durante 35 anos no coração da cidade-berço, na Praça de S. Tiago. Tomou posse da presidência da Comissão Administrativa da Cruz Vermelha de Guimarães no final de 2018.

Até chegar à Cruz Vermelha, percorreu um longo caminho. Começou por Filosofia, curso em que se licenciou, na Faculdade de Letras, na Universidade do Porto. “Fui tirar o curso por paixão, mas sempre vi a Filosofia como uma ferramenta, que me permite analisar as coisas de outra forma. Inicialmente, fui professor, mas como não havia muita saída para além do ensino, tirei uma especialização em Gestão Administrativa e comecei a trabalhar numa empresa de gestão de projetos da construção civil. O dono da empresa achava que devia ter filósofos a gerir a empresa e estive lá bastante tempo”. Ao perceber que aquele emprego já não o “preenchia”, voltou aos estudos e tirou uma pós-graduação em Filosofia do Ensino. Chegou a trabalhar na Porto Editora como consultor pedagógico, e foi nessa altura em que começou a fazer voluntariado na Cruz Vermelha de Guimarães. “Fui convidado para fundar a Juventude Cruz Vermelha, isto em 2003, 2004, e fiz o meu percurso como voluntário. A determinada altura, o trabalho já era tão grande que vim trabalhar para a Cruz Vermelha de Guimarães, como adjunto executivo”, apontou Armando Guimarães.

No entanto, devido a outras formas de pensar, saiu e embarcou noutros projetos. Começou na Fraterna e chegou mesmo a tirar outro mestrado, em Economia Social. “Queria aprofundar a questão da economia social, porque é onde as organizações se inserem. Fui trabalhar depois para o Porto, para a Associação de Paralisia Cerebral, e depois achei que era altura de voltar para Guimarães. Criei um projeto pessoal, com um conjunto de amigos, a empresa de consultoria, e desenvolvi um projeto também muito inovador em Guimarães, o Escape Game”.

“Fui surpreendido com este convite, mas achei que era altura de o fazer”

Armando Guimarães tomou posse da Comissão Administrativa da Cruz Vermelha de Guimarães, a 19 de dezembro de 2018. Embora já não estivesse diretamente ligado à delegação vimaranense, foi trabalhando com a organização a nível nacional. “Fui surpreendido com este convite, mas achei que era altura de o fazer. Tenho uma equipa que também conhece muito bem a Cruz Vermelha. Esta organização por si só é um grande desafio, pois é a maior organização humanitária do mundo. Mas eu gosto de trabalhar com pessoas, para pessoas. E gosto de fazer coisas novas, que ajudem a melhorar a vida dos mais vulneráveis”, referiu. Em Guimarães, são mais de 170 voluntários e há diversos projetos ativos.

“O voluntariado exige um compromisso muito grande”

Em relação à atualidade do mundo do voluntariado em Portugal, o vimaranense não esconde que ainda tem que ser muito melhorado. “Acredito que devia haver mais pessoas, sobretudo nestas organizações. Nós em Portugal temos uma prática de voluntariado baixíssima, estamos na cauda da Europa. Estas organizações vivem muito do voluntariado. Não é por acaso que existe a ideia de que são sempre as mesmas pessoas. Por se calhar são sempre essas pessoas que se disponibilizam. Mas não é fácil”, sublinhou. “Ser voluntário exige que haja perfil. Não acredito que possamos ser voluntários em tudo. O voluntariado exige um compromisso muito grande, porque a vontade não chega”, concluiu.

©2020 MAIS GUIMARÃES - Super8

Fazer login com suas credenciais

Esqueceu sua senha?