Autarquia defende “aceleração” da digitalização nas empresas

Cerca de uma centena de representantes de startups e micro empresas marcaram presença numa sessão de esclarecimento por videoconferência sobre as medidas de apoio às empresas, organizada pelo município de Guimarães, através da Divisão de Desenvolvimento Económico.

Em comunicado, a Câmara escreve que o edil Domingos Bragança destacou áreas que estavam a ser trabalhadas e “têm de ser aceleradas no mundo empresarial”, reportando a área da digitalização, da robótica, da internet das coisas e a implementação de base de dados. “Esta é a quarta revolução que estávamos a assistir e agora temos de acelerar”, sublinhou o presidente da Câmara Municipal de Guimarães, considerando a integração do conhecimento nas empresas num apelo a “soluções que apelam à inteligência coletiva”.

Já o vereador da Divisão de Desenvolvimento Económico, Ricardo Costa, vincou a “política de proximidade” implementada pelo Município a fim de “vencer os desafios de futuro” em conjunto com o tecido económico. “Vivemos momentos difíceis e com a união de esforços podemos ultrapassar esta crise. O Município de Guimarães está ao lado dos empresários e será sempre proactivo e dinâmico nas respostas que importam criar para apoiar o desenvolvimento das empresas”, apontando o projeto do “Espaço Empresa” no apoio a qualquer tipo de candidaturas ou linhas de apoio. 

No âmbito dos apoios direcionados às empresas, Jorge Oliveira destacou em representação do IAPMEI que “independentemente das medidas criadas no âmbito da COVID-19, continuam em vigor os sistemas de incentivos do Portugal 2020”. Apontou ainda o sistema de incentivos para as empresas mitigarem os efeitos de Covid-19. Numa primeira fase existe o apoio para micro-empresas, a fim de melhorar os métodos no contexto desta pandemia e para cumprir as normas estabelecidas. “Os beneficiários serão empresas com menos de 10 trabalhadores e até dois milhões de vendas em todos os setores de atividade. O incentivo será de 80% das despesas elegíveis até limite de 5 mil euros, sendo que os avisos de publicação de candidaturas serão publicados a curto prazo”, salientou.

A sessão contou ainda com a presença do Instituto do Emprego e Formação Profissional, através de Helena Chaves, que mencionou os apoios à formação para trabalhadores de empresas que recorreram ao lay-off e para as que tiveram quebras superiores a 40% na faturação. Em representação da AICEP, Bruno Lopes mencionou apoios no âmbito do e-commerce, internacionalização para startups e reconversão do processo produtivo, anunciando para breve a plataforma “Portugal exporta”, que visa a criação de planos de ação à medida das empresas no apoio à exportação.

Esta foi a primeira sessão, no âmbito da iniciativa que visa a dar resposta à atual conjuntura perante a pandemia da Covid-19. A segunda sessão realiza-se a 14 de maio, para as empresas Guimarães Marca e PME’s  (15h00 às 17h00).

©2021 MAIS GUIMARÃES - Super8

Publicidade

Fazer login com suas credenciais

Esqueceu sua senha?