CDS de Guimarães lamenta aprovação da eutanásia no Parlamento

A Comissão Política Concelhia do CDS de Guimarães, esteve ontem, 17 de março, reunida e debateu, entre outros assuntos, a legalização da eutanásia aprovada na semana passada na Assembleia da República.

O CDS de Guimarães lamenta a aprovação da legalização da eutanásia pelo Parlamento, “por rejeitar, por um lado, que a solução para a doença e o sofrimento seja a morte provocada por um terceiro, ainda que a pedido e, por outro lado, por entender que a experiência dos poucos países que a contemplam é manifestamente negativa, porquanto o alargamento progressivo das condições elegíveis para o efeito redundou, em todos, num aumento alarmante do número de mortes por eutanásia”, pode ler-se em nota enviada ao Mais Guimarães.

Desta forma, o partido secunda integralmente e sem reservas a posição assumida pelos Deputados à Assembleia da República eleitos pelo CDS, subscrevendo a declaração do seu líder parlamentar e Deputado eleito pelo círculo eleitoral de Braga, Telmo Correia, que a reputou de “uma derrota para todos”, tanto mais que “é no mesmo momento em que morrem milhares de pessoas por semana que o que o Parlamento tem a oferecer é uma ideia de morte”.

O CDS de Guimarães promoverá ainda uma ampla discussão sobre a matéria, permanecendo ao lado de todos quantos ainda não desistiram de a tentar travar.  

O partido decidiu, ainda, levar a efeito um ciclo de conferências destinado a debater temas pungentes da atualidade com a sociedade civil, a primeira das quais dedicada à Europa e à respetiva resposta à crise que vivemos, a ter lugar já nos próximos dias, e a segunda, que ocorrerá no fim do mês corrente, subordinada, precisamente, ao tema do sofrimento em fim de vida e, consequentemente, à eutanásia.    

©2022 MAIS GUIMARÃES - Super8

Fazer login com suas credenciais

Esqueceu sua senha?