Coligação Juntos por Guimarães acusa Domingos Bragança de apresentar programa com três anos

A Coligação Juntos por Guimarães (CJpG) refere-se à apresentação pela Câmara Municipal de Guimarães, no dia 21 de maio, de um protocolo com o Ministério das Infraestruturas e da Habitação. O momento ficou marcado pela presença do ministro Pedro Nuno Santos, em Guimarães, da secretária de Estado da Habitação e da presidente do IRHU. A coligação PSD/CDS alerta que este programa “existe desde 2018″e a acusa a gestão camarária de eleitoralismo.

Foto: Rui Dias

O ministro Pedro Nuno Santo e Domingos Bragança apresentaram um investimento de 13 milhões de euros, a realizar nos próximos seis anos, na promoção de soluções de habitação para quem vive em condições indignas.

Para o a CJpG, “a questão que se coloca é porquê só agora?”

“O programa 1º Direito existe desde 2018. No âmbito deste programa já foram investidos mais de 485 milhões de euros, na construção ou reconstrução de 9.383 fogos. Municípios como Almada, Arruda dos Vinhos, Évora, Lisboa, Matosinhos ou Oeiras, tomaram a dianteira neste processo”, afirma a Coligação, em comunicado.

Para a CJpG a apresentação “agora, com a presença do ministro ao lado do presidente da Câmara”, deve ser encarada como “uma manobra de propaganda eleitoral”. Além disso, acusa a Coligação, este é um programa “em que Guimarães está manifestamente atrasado”.

“Domingos Bragança nada fez pela habitação no concelho e agora, em fim de mandato, vem prometer um investimento, que já devia estar em marcha, para os próximos seis anos”, crítica o vereador do PSD, Ricardo Araújo. O comunicado da CJpG acusa Domingos Bragança de ter sido, até agora, indiferente aos problemas da habitação.

“Este protocolo com o Governo, não pode ser visto como a panaceia para os problemas da habitação, até porque ele se destina, e bem, aos mais desfavorecidos e às zonas mais degradadas. É preciso implementar uma série de outras soluções que respondam também à classe média e aos jovens, para que não continuem a ser empurrados para fora do concelho”, acrescenta Ricardo Araújo.

A CJG questiona publicamente o cumprimento do programa do PS em matéria de habitação:

  • “Onde estão os 62 fogos de habitação social que o PS se comprometeu a construir no seu programa eleitoral de 2017?
  • Porque não foi cumprida a promessa de construção a custos controlados, como constava no programa com que foram eleitos?”

Questiona a Coligação Juntos por Guimarães.

“Guimarães continua a ter bairros que nos envergonham e pessoas a viver em condições indignas, além disso, mesmo aquelas pessoas que se podem dizer de ‘classe média’ têm grandes dificuldades em arrendar ou comprar uma casa no concelho”, afirma ainda a Coligação.

A CJpG promete para breve a apresentação de “um conjunto de propostas para resolver os problemas da habitação no concelho e colocar Guimarães novamente a crescer”.

©2022 MAIS GUIMARÃES - Super8

Fazer login com suas credenciais

Esqueceu sua senha?