Coligação Juntos por Guimarães de Azurém acusa Castro Antunes de reclamar o crédito de obras privadas

Na sequência das declarações à imprensa do presidente da Junta de Freguesia de Azurém, Castro Antunes, os membros eleitos pela Coligação Juntos por Guimarães (CJpG) na Assembleia de Azurém, vêm agora afirmar que o autarca toma para si os créditos de obras alheias, inclusivamente iniciativas privadas.

Foto: Mais Guimarães

No comunicado, o “presidente da Junta de Freguesia de Azurém refere que a curto prazo vai nascer um projeto para Residência Universitária de referência internacional, como se a Junta de Freguesia tivesse tido algum tipo de intervenção no processo. Acontece que se trata de investimento exclusivamente privado”, apontam os membros da Junta de Freguesia de Azurém, eleitos pela CJpG. “Ao que parece, para além das obras Municipais o presidente do Executivo também quer as medalhas das obras levadas a cabo pela iniciativa privada”, criticam.

O comunicado da CJpG refere-se também às obras que aconteceram na freguesia e que são competência exclusiva do Município como a requalificação da Volta do Pedroso, da rua de S. Torcato e da rua Nossa Senhora da Madre Deus, “foi uma obra de requalificação levada a cabo pelo Município de Guimarães, com vista a melhorar as acessibilidades à circular urbana na entrada nascente da cidade”.

” O mesmo aconteceu com a obra de requalificação da Rua de Francos, concretizada pelo Município e que teve como finalidade melhorar os acessos à Universidade do Minho”, acrescentam.

Na opinião da CJpG de Azurém, o  presidente da Junta não pode reclamar a paternidade destas obras. A Junta de Freguesia tem um orçamento a rondar os 380 mil euros e estas são obras que orçaram acima do milhão de euros, esclarecem.

Os membros da CJpG referem ainda que a Refood é uma IPSS e que o trabalho de distribuição de refeições não pode ser reclamado pela Junta de Freguesia.

©2021 MAIS GUIMARÃES - Super8

Publicidade

Fazer login com suas credenciais

Esqueceu sua senha?