DE SANTUÁRIO A BASÍLICA: O SONHO REALIZADO DE SÃO TORCATO E DAS SUAS GENTES

Esta quinta-feira assinalou-se a elevação do Santuário de São Torcato ao estatuto de Basílica Menor. A efeméride também fica marcada pela habitual Feira dos 27, bem como pela celebração do Dia de São Torcato.

© Nuno Rafael Gomes/ Mais Guimarães

Em São Torcato, diz Paulo Novais, “há algo de especial que vai para além das pedras, para além dos caminhos”. E especial também foi esta quinta-feira, 27 de fevereiro, para aquela vila vimaranense: o Santuário de São Torcato passou, oficialmente, a designar-se de Basílica, elevação que, para o juiz da Irmandade de São Torcato, “é um sonho tornado realidade”.

É que esta é uma história que já vem de há séculos. As obras iniciaram-se em 1825 e terminaram — ainda que haja sempre algo a fazer — a 25 de outubro de 2015. O dia também foi marcado pela inauguração de um elevador panorâmico que permite a acessibilidade ao largo que rodeia a igreja, bem como da Via-Sacra, com placas alusivas.

A cerimónia solene da elevação foi presidida pelo Arcebispo de Braga e Primaz das Espanhas que, no período destinado à homilia na eucaristia, frisou que esta era, agora, uma altura “de responsabilidade” para aqueles que são os guardiões de São Torcato. É que, como afirma Paulo Novais, aquele templo “pode e deve receber o Santo Papa”.

Paulo Novais e Domingos Bragança na inauguração do elevador panorâmico. © Nuno Rafael Gomes/ Mais Guimarães

A mesma ideia foi salientada pelo presidente da Junta de Freguesia de São Torcato, Alberto Martins, que lembrou ainda que o dia 27 de fevereiro consubstancia, e ainda mais a partir deste ano, “o que é o orgulho torcatense”. A partir de agora, o dia 27 é, também, dia de São Torcato. “Não podia ser noutro dia [a elevação a Basílica]”, disse Paulo Novais no seu discurso no final da eucaristia.

Feira dos 27 premeia gado bovino. © Nuno Rafael Gomes/ Mais Guimarães

O número do dia deixa adivinhar um evento que se vem alongando pelas décadas na vila torcatense: a Feira dos 27. Atraindo produtores de várias partes do Minho, a feira integra um concurso pecuário onde são distinguidos animais das raças barrosã, turina e galega. Francisco Santos, da Irmandade de São Torcato e presidente da Comissão de Agricultores, conta que já organiza a feira “há 30 ano”. “Há sempre gente e cativamos gente mais nova. Em termos de produtores, vê-se, mesmo hoje, gente jovem. E isso é sinal que esta tradição vai continuar”, diz. Porque, como diz Alberto Martins, “São Torcato é uma das principais vilas do concelho e a que mais história e tradição tem acumulado”. Agora, com a elevação do Santuário a Basílica, espera-se “maior progresso e mais desenvolvimento” para a vila.

©2020 MAIS GUIMARÃES - Super8

Fazer login com suas credenciais

Esqueceu sua senha?