EM TEMPOS DIFÍCEIS, A SOLIDARIEDADE CRESCE NAS REDES SOCIAIS

© Direitos Reservados

São muitos os que, nestes dias, se predispõem a ajudar aqueles que, perante a pandemia do novo coronavírus, estão mais em riscos. No “Grupo de Apoio e Entreajuda contra Covid-19 Guimarães”, multiplicam-se os anúncios solidários para realizar entregas de produtos essenciais.

No Facebook, cresce o número de publicações partilhadas por jovens do concelho que se oferecem para fazer compras pela população de risco. Mas não só: há quem queira prestar auxílio psicológico, dar dicas de nutrição e de exercício físico ou providenciar alojamento a profissionais de saúde que, por precaução, não possam regressar a casa no final de um turno.

Foi no mesmo espaço que foi anunciado que a Residência Paroquial de Fermentões está disponível para os acolher. “Está neste momento a ser limpa e preparada com o essencial”, lê-se numa publicação ali partilhada.

Não é caso único: já há agências dispostas a agregar contactos junto de clientes interessados em ceder habitações neste momento. Num dos casos, a gerente de uma agência imobiliária vimaranense anunciou ter uma habitação no Centro Histórico de Guimarães livre para profissionais de saúde “que não possam ir a casa e que comprovem o motivo”. “O objetivo é proteger as famílias”, conta João Carvalho, do departamento financeiro da Remax Go.

©2020 MAIS GUIMARÃES - Super8

SUBSCRIÇÃO GRÁTIS

RECEBA O JORNAL MAIS GUIMARÃES

NO SEU EMAIL

Fazer login com suas credenciais

Esqueceu sua senha?