Fui à cata do Funcho e Urtigas

por Mário Moreira

Cozinhar com pica – Já comeu Esparregado de Urtigas?

Ao fim de 15 dias de forçada clausura, dou comigo numa pesquisa ao longo das margens do rio Ave, até à “praia seca”. Descobri  cheiros e perfumes bem familiares.

Foi gratificante  observar o verde espetáculo das ervas que crescem alegres e triunfantes. Proporcionam-nos o equilíbrio e harmonia cada vez maior com a natureza . O cenário de beleza não deixa enganar, estamos na primavera.

O uso adequado, conduz a descobertas interessantes, na  gastronomia.

Estão ao dispor a custo zero. Emprestam-nos uma gama de sabores e texturas essenciais. Algumas das plantas são mal-amadas por preconceito, ignorância.

Vi, tateei e cheirei; funcho, hortelã, urtigas, borragem,  camomila, margaridas, cidreira, catos, agriões, alecrim, arruda, dente de leão, silvas, botões de flor de cardo, azedas, língua de ovelha, rebentos de sabugueiro, cogumelos, beldroegas, saramagos, trevos, correjó, fetos. Colhi diversas. Foram algumas horas numa tarde botânicamante bem passada.

Os cheiros, as cores, os sons vibrantes brotam da natureza; o coaxar das rãs, o chilrea dos pássaros, o gasnar dos patos, o zumbir das abelhas, o bater da água, um coelho bravo que se refugia, a imprudência de um pescador furtivo em tronco despido cor de lavagante, são ingredientes que fazem quebrar a monotonia pachorrenta desta tarde soalheira. Desenham um cenário bucólico.

O Funcho cresce em abundância, presente todo o ano. As infusão são excelentes para cólicas. As sementes dão origem à erva-doce. Ajuda; à digestão, combate a gripe, bronquite, infeções urinárias. Tem  aroma acentuado a anis. Mistura-se em saladas, peixe recheado, legumes confecionados. Utilizo-o em molho para Salmão grelhado e mastigo-o para lavar a boca.

A Urtiga é conhecida há milénios. Rica em ferro, magnésio, cálcio e vitamina C. Recomendada à menopausa, problemas respiratórios. Estimula a circulação do sangue. Adapta-se à cozinha; infusões, sopa, pão, refogados, bolos, molhos, risoto, esparregados.  Há cerca de um mês, numa das habituais ações de gastronomia,  na “Associação de Reformados de Guimarães”, confecionamos “Pão com Urtigas”.

“Ou sabe colher, ou vai doer”. Utilizar luvas e tesoura. Uma das técnicas para deixar de picar é passar por água quente.

“Esparregado de Urtigas”



Só as folhas são ulitizáveis. Lavar, escorrer e picar finamente. Adicionar  numa frigideira com 1 colher de azeite, 2 dentes de alho picados, 1 folha de louro, sal e nós moscada qb. Deixar ferver uns minutos. Adicionar 3 gemas de ovos, envolver, sem deixar grumos. Tem de ficar um creme consistente. Polvilhar com amêndoas.

Bom apetite

Votos de saúde!

©2020 MAIS GUIMARÃES - Super8

Fazer login com suas credenciais

Esqueceu sua senha?