Hugo Ribeiro: “Temos a liberdade condicionada e amarrada ao dinheiro do município”

A requalificação de um edifício da União de Freguesias de Souto Santa Maria, Souto São Salvador e Gondomar levantou questões na reunião de câmara desta segunda-feira. Um ponto que acabou por ser retirado da agenda por se referir ao edifício em causa como o edifício da sede da junta de freguesia.

Hugo Ribeiro, vereador eleito pela Coligação Juntos por Guimarães, considera que quando se vota uma proposta “com esta dimensão e valoração de 158 mil euros” é necessário “saber para o que é que estamos a atribuir um subsidio”. Um valor que considera “atribuído de uma forma pouco rigorosa”.

Fazendo referência a Manuel Cardoso, atual presidente da junta, que vai concorrer pelo Partido Socialista nas próximas eleições, tendo sido eleito, em 2017, pela coligação JpG, disse que levanta questões éticas. “Sabemos da freguesia que estamos a falar, das pessoas que representam essa mesma freguesia, e de um passado muito recente de alguns contornos que aconteceram aí”.

“Temos a liberdade condicionada e amarrada ao dinheiro do município”, disse, concluindo que “talvez fosse este o preço da liberdade em Souto Santa Maria, São Salvador e Gondomar”.

Adelina Pinto recorda que o que está em causa é uma escola. “Pensamos nos meninos. É de uma falta de ética muito grande e não deve sequer ser equacionado”, frisou.

Apesar do lapso, a vereadora acredita que a questão “podia ser votada e estava resolvido”, uma vez que se trata de um assunto “que está a ser tratado há mais de dois anos”. Adelina Paula Pinto lamenta o facto de a proposta não ser aprovada, “porque vai decorrer aqui um atraso na obra”.

©2021 MAIS GUIMARÃES - Super8

Publicidade

Fazer login com suas credenciais

Esqueceu sua senha?