Insolvências aumentam 14,1% no distrito de Braga

© Direitos Reservados

Nos primeiros quatro meses do ano registaram-se 1.745 ações de insolvências, mais 75 processos ou 4,5% que no homólogo de 2019, avança a Iberinform num relatório que já evidencia os efeitos da pandemia e da suspensão de um conjunto de atividades devido ao estado de emergência. No mesmo período, as novas constituições apresentaram uma descida de 34,6%, para um total de 13.084 novas empresas, menos 6.927 que no primeiro quadrimestre de 2019.

No acumulado do ano até abril verifica-se um aumento de 32,4% nas declarações de insolvência apresentadas pelas empresas, de 364 em 2019 para 482 em 2020. Já as declarações de insolvências requeridas por terceiros diminuíram 3,5% e as insolvências declaradas (encerramento de processos) decresceram 3,3%.

O distrito de Braga, em terceiro lugar, totaliza 211 insolvências, num incremento de 14,1%. Em segundo, o distrito de Lisboa contabiliza 354 insolvências, um aumento de 0,6% face ao ano passado. Já o distrito do Porto é o que regista o maior número de insolvências, 429, mas também uma queda de 1,2% face a 2019.

Os aumentos mais significativos pertencem a Angra do Heroísmo (100%), Portalegre (83,3%), Castelo Branco (66,7%), Santarém (33,9%), Faro (32,4%) e Viana do Castelo (30,4%). Apenas cinco distritos fecham o primeiro quadrimestre de 2020 com valores inferiores ao período homólogo do ano passado: Horta (menos 50%), Guarda (menos 35,7%), Coimbra (menos 31.3%), Setúbal (menos 18,7%) e Porto. Os setores de Eletricidade, Gás, Água (100%), Agricultura, Caça e Pesca (46,2%) e Hotelaria e Restauração (15%) foram os que registaram maior aumento de insolvências. Em contraponto, as Telecomunicações, a Construção e Obras Públicas, o Comércio de Veículos e os Transportes tiveram uma performance positiva neste quadro.

©2022 MAIS GUIMARÃES - Super8

Publicidade

Fazer login com suas credenciais

Esqueceu sua senha?