Luís Pinto Lisboa é o candidato do BE à Câmara

O Bloco de Esquerda, em Guimarães, apresentou esta segunda-feira, dia 28, os cabeças de lista para as próximas eleições autárquicas. Sónia Ribeiro, atual deputada municipal, encabeça a lista do Bloco à Assembleia Municipal (AM) e Luís Pinto Lisboa é o número um na lista para a Câmara Municipal.

Foto: Rui Dias/Mais Guimarães

Luís Pinto Lisboa começou por afirmar que “a pandemia de covid-19 veio deixar a nu as enormes fragilidades e desigualdades deste sistema que não assegura sequer igualdade na cidadania”. O candidato do BE a presidente da Câmara de Guimarães defende que “são precisas novas ideias, novas caras, novas políticas que coloquem as pessoas o centro das políticas em Guimarães”.

O candidato defende política “urgentes e definitivas” para resolver os problemas da habitação. Luís Pinto Lisboa afirma que o programa do BE em termos de habitação ainda está a ser estudado, mas adianta que 1.400 fogos não chegam para resolver o problema.

O BE vê o problema da habitação por dois prismas que o candidato colocou em destaque, por um lado as pessoas que se vêm obrigadas a deixar a cidade porque não arranjam aqui casa e, por outro, o parque automóvel que aumenta, por as pessoas virem de longe para os seus empregos. “A desregulação do mercado e a ausência de medidas autárquicas trouxe-nos a esta situação”, afirma Pinto Lisboa. “Precisamos de um parque habitacional público”, adverte.

O BE promete transporte gratuito

O candidato do BE defende o transporte público gratuito no concelho, no que é secundado pela cabeça de lista à Assembleia Municipal (AM), Sónia Ribeiro. Sónia Ribeiro lembra que o concurso público foi adjudicado por metade do valor previsto e sugere que essa verba, aproximadamente 15 milhões de euros, seja usada para oferecer transporte gratuito aos vimaranenses.

Luís Pinto Lisboa relembra a necessidade de despoluir o Ave e o Selho e “fomentar os espaços verdes urbanos, contrariamente ao PDM que continua a aumentar o espaço urbanizável”.

Sónia Ribeiro que o trabalho da Câmara mais escrutinado

Sónia Ribeiro escolheu esta apresentação para manifestar o desagrado do Bloco relativamente ao reduzido número de vezes que a Assembleia Municipal reúne. O órgão reúne cinco vezes por ano, “manifestamente pouco”, isto segundo a deputada municipal do BE, “torna os trabalhos manifestamente difíceis”, com a ordem de trabalhos a atingir os 60 pontos, em algumas reuniões. “Um aumento do número de reuniões da AM levaria a um melhor trabalho no sentido de escrutinar e trazer os pontos fundamentais para a discussão. Aquilo que acontece na AM é que se vai deliberar sobre assuntos que já ocorreram, temas que já não dependem da Assembleia. Isso acaba por tirar alguma legitimidade ao órgão”, avalia Sónia Ribeiro.

A deputada chamou também a atenção para as Comissões, criadas na última alteração ao Regimento da AM. “A única que foi criada foi uma comissão de acompanhamento à candidatura de Guimarães a Capital Verde Europeia que a última vez que reuniu foi a 6 de julho do ano passado”, apontou. “A criação de mais comissões tornaria mais clara a ação da Câmara”, afirma.

A deputada lança uma crítica à forma como o Município executa as verbas orçamentadas em termos de apoios sociais. “Não é de estranhar que relativamente aquilo que é o apoio às famílias carenciadas a taxa de execução seja de 60%. Guimarães é um Município em que as famílias não tem necessidade?” – Questiona a deputada que encabeça a lista do BE à Assembleia Municipal. Sónia Ribeiro deixa no ar a ideia de que o acesso a estes apoios é dificultado por obstáculos. Um dos exemplos que a candidata apresenta é a necessidade de fazer as candidaturas por meios digitais, algo que não é acessível a todas as pessoas.

“Sabemos que Guimarães está a perder residentes. A habitação é escassa e cara. Um dos fatores que propicia isto é especulação imobiliária”, aponta a Sónia Ribeiro. A deputada que agora se recandidata, defende, como já propôs na AM, que o Município “tome a dianteira na resolução do problema dos bairros sociais”, assumindo a resolução do problema.

Para a cabeça de lista pelo BE à AM, a Câmara recorrer às medidas Contrato Emprego Inserção (CEI e CEI +) não é compatível com a postura que deve ter no combate a precariedade. “Aquilo que nos parece é que estes postos de trabalho são necessidades permanentes”, afirma.

Luís Pinto Lisboa tem 42 anos, natural de Guimarães, da freguesia Selho (São Jorge), é Licenciado em Humanidades pela Faculdade de Filosofia de Braga, é auditor, professor de artes performativas e artista.

O candidato do Bloco à Câmara tem um longo percurso de ativismo pelos Direitos Humanos, pela luta antiracista e pelo combate à emergência climática, entre outros, e com uma militância ativa a nível local, nacional e internacional.

Sónia Ribeiro tem 44 anos, natural de Mirandela e residente em Guimarães há 27 anos, é Técnica de Ótica, Presidente do CESMinho – Sindicato dos Trabalhadores do Comércio, Escritórios e Serviços do Minho, dirigente do Bloco de Esquerda na Comissão Coordenadora Concelhia de Guimarães e na Distrital de Braga, na Comissão Nacional do Trabalho e na Mesa Nacional do Partido, é também desde 2017 membro da Assembleia Municipal de Guimarães, recandidatando-se a novo mandato.

©2021 MAIS GUIMARÃES - Super8

Publicidade

Fazer login com suas credenciais

Esqueceu sua senha?