MP ACUSA FUNCIONÁRIO DA CÂMARA DE APROPRIAÇÃO DE, “PELO MENOS, 2.815 LITROS DE GASÓLEO”

Assistente operacional terá usado “veículos automóveis do município em seu próprio proveito, nomeadamente ao fim-de-semana”.

© Mais Guimarães

O Ministério Público deduziu acusação contra um assistente operacional da Câmara Municipal de Guimarães, “pela prática de um crime de peculato, de um crime de peculato de uso e de um crime de falsificação”.

Numa nota informativa publicada a Procuradoria-Geral do Porto, o funcionário é acusado de, “através de vários expedientes”, se ter apropriado “de, pelo menos, 2815 litros de gasóleo”, assim como de ter usado “veículos automóveis do município em seu próprio proveito, nomeadamente ao fim-de-semana”.

“O MP considerou que o arguido obteve, com a sua conduta, uma vantagem patrimonial ilegítima de, pelo menos, €3 073,70, pelo que promoveu que o mesmo fosse condenado a pagar ao Estado esse valor, sem prejuízo do ressarcimento ao município em que venha eventualmente a ser condenado”, pode ler-se na nota.


©2020 MAIS GUIMARÃES - Super8

Fazer login com suas credenciais

Esqueceu sua senha?