MUNICÍPIO QUER CURSO SUPERIOR DE DESPORTO NA UNIVERSIDADE DO MINHO

A Associação Académica da Universidade do Minho entregou, esta tarde, a candidatura às Fases Finais dos Campeonatos Nacionais Universitários, à Federação Académica do Desporto Universitário.

No âmbito da conferência, o presidente da Câmara de Guimarães e o Vereador do Desporto mostraram interesse na criação de um curso superior de desporto na Universidade do Minho, no campus de Azurém. Domingos Bragança afirma que “o Estado está a trabalhar com a reitoria da Universidade do Minho, sempre que temos reuniões conjuntas apresentamos esta nossa pretensão”. Para o executivo de Guimarães, é importante que o curso seja no pólo da cidade-berço: “Temos práticas desportivas acima da média europeia e achamos que estamos preparados e merecemos uma escola para estudar desporto”. Ricardo Costa, na sua intervenção, diz que o município e que a universidade deveriam, em conjunto, abraçar o desafio. “Acho peculiar que sendo a Universidade do Minho uma das mais ativas (universidades) europeias no desporto, porque é que não temos uma escola superior de desporto em Guimarães? Acho que temos todas as condições para ter uma escola de desporto e a Universidade do Minho deveria pensar seriamente nisso”.

Nuno Reis, presidente da Associação Académica, acredita que a Universidade do Minho “tem alargado cada vez mais a sua área de ação e a associção vê sempre isso com bons olhos”. Ainda assim, Nuno Reis sublinha que uma iniciativa desta dimensão “obriga a que existam outras necessidades que, certamente, numa conjugação de vontades, entre o município, o próprio Estado e entre a universidade teriam de existir” e que o que pode dizer é que “para uma universidade que tem vindo a apostar nas atividades desportivas, ter um curso de desporto só iria acrescentar valor à associação académica e à região”.

Candidatura com responsabilidade ambiental

As Fases Finais dos Campeonatos Nacionais Universitários já tiveram lugar na Universidade do Minho sete anos, sendo que a última edição decorreu em 2015. Ao contrário dos anos anteriores, nesta candidatura está apenas inserido o campus de Azurém, não incluindo o campus de Gualtar, Braga. De acordo com Nuno Reis, a escolha pela candidatura do município de Guimarães deve-se à “articulação com a sustentabilidade da cidade que faz sentido e faz sentido ser feito num município que é também candidato à Capital Verde 2020”. O presidente da Associação Académica justifica que Guimarães “tem certamente as condições necessárias para acolher este evento desportivo e para nos articular em termos de sustentabilidade ambiental”. Nuno Reis assegura que nesta candidatura a associação tenciona “ter mecanismos de monotorização de consumos energéticos da pegada ecológica dos próprios campeonatos”, tendo como ideia principal reduzir o consumo de plástico, eliminando as tradicionais garrafas de água, substituindo por pontos de abastecimento de água. A candidatura conta também com uma conferência sobre a sustentabilidade no desporto, “para que este seja um evento desportivo e social, e que os atletas saiam com uma responsabilidade ambiental”.

Daniel Monteiro, presidente da FADU, recebeu a candidatura da AAUM nesta sessão pública. A cidade de Guimarães compete apenas com a capital Lisboa e os resultados são conhecidos na próxima semana. Segundo Daniel Monteiro, esta candidatura “transmite tranquilidade e confiança à federação, pelo histórico em assumir este tipo de eventos”, admitindo que “é uma candidatura com qualidade e o envolvimento de várias instituições é um ponto positivo, como a sustentabilidade ambiental que é algo muito importante para nós”.
Caso a candidatura vimaranense seja a escolhida, as Fases Finais dos Campeonatos Nacionais Universitários decorrerão em 2019, e estimam-se mais de 2500 atletas e 150 voluntários, ao longo de duas semanas.

0 Comentários

Envie uma Resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

*

©2018 MAIS GUIMARÃES - Super8

Fazer login com suas credenciais

Esqueceu sua senha?