NA PRÓXIMA IDA À FARMÁCIA, É MAIS FÁCIL AJUDAR QUEM PRECISA

Guimarães foi a cidade escolhida para a representação do distrito de Braga na Campanha Solidária “Dê Troco a Quem Precisa”. O programa ajuda perto de 750 beneficiários a comprar medicamentos nas farmácias.

Há seis farmácias aderentes à campanha em Guimarães. ©Pedro Castro Esteves/ Mais Guimarães

A partir do início desta semana é possível aos vimaranenses doarem o troco das compras que fazem nas farmácias. No concelho de Guimarães há seis farmácias que aderiram à iniciativa do “Programa Abem: Rede Solidária do Medicamento”, da Dignitude. A campanha intitulada “Dê Troco a Quem Precisa” estende-se até dia 25 de dezembro e o montante angariado até esse dia será “integralmente aplicado na aquisição de medicamentos para os beneficiários abrangidos”. Ou seja, “pessoas em situação de vulnerabilidade que não conseguem pagar os medicamentos que precisam”, informou a Associação Dignitude, aquando do lançamento oficial do programa.

Mas não é preciso vir a Guimarães para ajudar. Há cerca de 700 farmácias espalhadas por todo o país que aderiram ao programa e todos os distritos e regiões autónomas estão abrangidos. Certo é que Guimarães é um dos concelhos com mais adesão e foi escolhido como representante do distrito de Braga. A ocasião foi sinalizada na última terça-feira, com uma ação simbólica na Farmácia Nunes de Sá, em Fermentões, que contou com a presença da Vereadora da Ação Social, Paula Oliveira.

O município é uma das cinco entidades referenciadoras no distrito. Os últimos dados contabilizados mostram que o programa apoia 758 beneficiários e em Guimarães serão cerca de 600. Mas como é que os beneficiários tiram partido do programa e como funciona? O processo desenrola-se a partir de uma rede de parcerias com entidades locais, cabendo à entidade referenciadora comunicar à Dignitude os dados do beneficiário, sendo-lhe atribuído um cartão. Esse cartão contém um código de barras e pode ser usado nas farmácias para levantar os medicamentos necessários. O cartão substitui o dinheiro e a pessoa acaba por levantar os medicamentos sem qualquer custo. O beneficiário “pode recolher os medicamentos prescritos em qualquer farmácia do país, sem mais burocracias e com a dignidade que merece”, sintetiza a Associação Dignitude.

Em declarações à Lusa, a embaixadora do Programa Abem, Maria de Belém Roseira destacou a “debilidade económica de um conjunto expressivo de pessoas em Portugal” e frisou que “antes das transferências sociais, há 40% das pessoas em risco de pobreza e, depois das transferências sociais, ainda existem 17,2%”.

Mais de 20 mil embalagens dispensadas

Segundo dados divulgados pela Associação Dignitude o programa Abem apoia atualmente 11 809 beneficiários, “dos quais 13% são crianças”. Desde o arranque, em Maio de 2016, já permitiu a famílias carenciadas adquirir perto de 390 mil embalagens de medicamentos para os beneficiários. Para este número contribuem as perto de 21 mil embalagens dispensadas pelo distrito, desde o mesmo ano. A campanha de Natal do ano passado recolheu mais de 65 mil donativos aos balcões das farmácias e foram angariados perto de 48 mil euros, valor que reverteu na totalidade para os beneficiários.“Enquanto comunidade, somos todos responsáveis uns pelos outros e não podemos aceitar que haja uma qualquer pessoa que, por carência económica, não consiga aceder aos medicamentos que lhe permitem fazer face aos seus problemas de saúde. É tempo de a sociedade civil se unir”, considera Maria de Belém, citada pela Lusa.

0 Comentários

Envie uma Resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

*

©2020 MAIS GUIMARÃES - Super8

Fazer login com suas credenciais

Esqueceu sua senha?