NÃO BASTA DIZER EU É QUE SOU O PRESIDENTE!

por ISILDA LOPES

O balanço que faço, deste meu primeiro mandato como Presidente de Junta, é positivo. Principalmente pela experiência que fui e vou adquirindo todos os dias. É de facto uma experiência enriquecedora, quer a nível profissional, como e acima de tudo pessoal.

O trabalho de um Presidente de Junta é um trabalho nobre, altruísta e que deve ser respeitado por todos. É um trabalho que implica muito mais do que o trabalho de  secretaria e assinaturas. O essencial para fazer uma bom trabalho é ter gosto no que se faz e saber trabalhar em equipa. Não basta dizer “Eu é que sou o/a presidente!”, é preciso dar o exemplo e estar sempre na linha da frente em qualquer situação. O regime aplicável ao exercício do mandato dos membros das juntas de freguesia e os critérios nele previstos, são uma utopia e necessitam de ser repensados.

No meu caso, que trabalho por conta de outrem, ao fim dum dia de trabalho espera-me mais meio ou um dia de trabalho em prol da freguesia. Sabemos que quem não está em regime de permanência tem direito a umas horas para resolver assuntos relacionados com a junta de freguesia, mas poucas são as entidades patronais que vêm estas faltas justificadas com bons olhos. Independentemente do número da população é uma ocupação exigente, de constante mudança e adaptação à realidade.

Apesar dos tempos difíceis, temos trabalhado para sermos uma Junta, próxima dos cidadãos, disponível para a inovação, solidária e atenta aos problemas da comunidade. Não podemos mudar tudo, conforme os nossos ideais, mas podemos mostrar que é possível fazer diferente e isso começa logo pela forma de encarar a realidade da falta de verbas para executar trabalhos que idealizamos e que são necessários para a freguesia.

Eu considero-me uma pessoa com sorte, porque tenho uma equipa fantástica, sempre disponível para trabalhar em prol do desenvolvimento da freguesia. Alguns trabalhos de limpeza e até pequenas intervenções de recuperação do património da freguesia tem sido feito com trabalho em regime de voluntariado. A última obra realizada, sob uma orientação constante do nosso secretário César Braga, foram as instalações sanitárias, de apoio à população que frequenta a Igreja, o salão paroquial e a capela mortuária. Foram 4 meses de trabalho que resultaram numa obra de qualidade e requinte.
Ainda temos muito trabalho pela frente, infelizmente faltam-nos infraestruturas de apoio aos cidadãos, precisamos de criar um espaço verde de lazer, um parque infantil e melhorar alguns caminhos.

O alargamento da rede de saneamento, é também uma preocupação deste executivo. As próximas obras, ainda a executar neste mandato, serão a requalificação do ringue desportivo e da Estrada Nacional 585, obras que serão financiadas pela Câmara Municipal de Guimarães. Estas intervenções são importantes para a freguesia e visam melhorar a qualidade de vida de todos os cidadãos.

Considero a delegação de competências nas juntas de freguesia muito positiva. Somos a entidade que está mais próxima da população e por isso conhecemos melhor a realidade da freguesia. O tempo de resposta, na resolução de problemas é menor, mais eficaz, muitas vezes realizado com menos recursos e ótimos resultados.

A colaboração e comunicação com a Câmara Municipal é fundamental para o desenvolvimento da freguesia. O Presidente da Câmara Municipal, Dr. Domingos Bragança, tem sido um bom aliado, sempre atento às nossas preocupações. Na minha opinião e pelo bem da freguesia, é necessário estar num diálogo constante com a Câmara Municipal, sempre com espírito crítico e sugestões de melhoria. Não adianta criticar, quando não se apresentam ideias ou soluções alternativas.

©2020 MAIS GUIMARÃES - Super8

Publicidade

Fazer login com suas credenciais

Esqueceu sua senha?