Paço dos Duques, Castelo e Museu de Alberto Sampaio reabrem na segunda-feira

Museus voltam a abrir portas aos visitantes no dia 18, mas com restrições. Há espaços encerrados e regras a cumprir. O tempo de visita também é menor, bem como o número máximo de visitantes permitido.

© Mais Guimarães

No Dia Internacional dos Museus, Guimarães verá reabertos alguns dos espaços que marcam a sua história. Na próxima segunda-feira, dia 18 de maio, o Paço dos Duques, o Castelo de Guimarães e o Museu de Alberto Sampaio abrirão, novamente, as portas ao público. Contudo, em tempos atípicos, também os horários, percurso e procedimentos de visita mudam, seguindo as recomendações do Governo e da Direção-Geral da Saúde (DGS). A Câmara Municipal de Guimarães emitiu um comunicado em que se ressalva que as condições de acesso a estes espaços poderão ser alteradas “a qualquer momento”.

O Paço dos Duques, o Castelo e a Igreja de São Miguel podem ser visitados de terça a sexta-feira, das 09h00 às 18h30, sendo a última entrada às 18h00. Já no fim de semana e nos feriados, as visitas fazem-se entre as 10h00 e as 13h00 (última entrada às 12h30) e das 13h00 às 18h00 (com a última entrada meia hora antes).

Já o Museu de Alberto Sampaio funciona, de terça a sexta-feira, entre as 09h00 e as 12h00 (última entrada às 11h45) e das 14h00 às 18h00 (o último grupo também entra 15 minutos antes). Aos fins de semana e feriados, os visitantes poderão entrar entre as 10h00 e as 12h30, mantendo-se a última entrada nos 15 minutos anteriores, e das 14h00 às 18h00, com a mesma condição.

No Paço dos Duques, algumas salas estarão encerradas, uma vez que não permitem o cumprimento da distância de segurança exigida. Essa distância de segurança não é aplicada a grupos que visitem o Paço dos Duques em família ou com amigos, tendo chegado ao local em conjunto. Contudo, deverão respeitar a distância para com outros visitantes. O percurso de visita à exposição permanente do espaço passa a ser de sentido único. E o tempo de visita não deverá “exceder o tempo máximo de 30 minutos de permanência dentro do monumento”. As limitações também se refletem no número máximo de visitantes, que passa a ser de 30 pessoas. Os visitantes terão de usar, obrigatoriamente, a máscara no interior do monumento. Quanto aos sanitários, é permitido é apenas permitia “a entrada de duas pessoas de cada vez”.

Uma vez que a alteração do percurso dificulta a acessibilidade ao monumento, há exceções para as pessoas em cadeira de rodas ou com mobilidade reduzida: poderão utilizar o elevador ou realizar um percurso alternativo. A equipa do Paço dos Duques garante o cumprimento das medidas de prevenção estipuladas pela DGS, como a higiene das mãos e do próprio espaço, bem como o distanciamento social e a etiqueta respiratória. Há, também, gel desinfetante disponível para o visitante.

Também há um espaço encerrado no castelo — neste caso, a Torre de Menagem, uma vez que “a exiguidade do espaço e a necessidade de minimizar pontos de concentração/foco dos visitantes junto de equipamentos que convidam à interação”. As mesmas garantias por parte da equipa do Castelo são asseguradas, bem como a proteção para os visitantes. No interior do Castelo não poderão estar mais de 50 pessoas. A visita fica-se pelo máximo de 25 minutos de permanência. Tal como no Paço dos Duques, a distância de segurança entre visitantes deve ser respeitada (à exceção de famílias e grupos de amigos que cheguem ao Castelo juntos). Também é obrigatório o uso de máscara.

©2020 MAIS GUIMARÃES - Super8

Fazer login com suas credenciais

Esqueceu sua senha?