Paço dos Duques: candidatura para obras de conservação e restauro aprovada

As sete candidaturas apresentadas ao Programa Operacional Norte 2020, pela Direção Regional de Cultura do Norte, foram aprovadas, sendo uma delas o Paço dos Duques de Bragança. As intervenções têm prazo de execução de dois anos.

Com esta candidatura pretende-se intervir na requalificação e ampliação da receção, espaço de apoio ao visitante e sanitários tornando o espaço de acolhimento mais acessível, amigável e eficiente, de modo a bem servir os milhares de visitantes, nacionais e estrangeiros, que anualmente aqui se deslocam.

De acordo com Isabel Maria Fernandes, diretora do Paço dos Duques, este investimento e aprovação é uma boa notícia. A responsável revelou ao Mais Guimarães que estas intervenções “são muito importante para nós, mas não podemos esquecer que o Paço dos Duques precisará de obras de reabilitação de fundo em todo o edifício”.

“A estratégia delineada pela Direção Regional de Cultura do Norte visa a descentralização do investimento, alargando as suas ações a todo o território, num plano de trabalho em rede que contempla, igualmente, o apoio a candidaturas apresentadas por outras entidades e que mereceram, igualmente, aprovação”, pode ler-se no site da Cultura Norte.

“Visando a salvaguarda e proteção do património, mas também a sua dinamização, divulgação e consequente fruição por parte do público, as candidaturas apresentadas aos fundos comunitários revestem-se de um caráter transversal, dando continuidade ao trabalho que tem vindo a ser realizado ao longo dos últimos anos, num claro esforço de criação de sinergias alargadas a todo o território, com evidentes repercussões ao nível das economias locais”. 

“Cada ano há uma lista de locais que necessitam de investimento, tendo como prioridade a conservação, proteção, promoção e desenvolvimento do Património Natural e Cultural”, disse Ângela Ferreira, secretária de Estado Adjunta do Património Cultural, ao Jornal de Notícias.

Também foram aprovadas as candidaturas no Museu dos Biscainhos (Braga), Museu da Terra de Miranda (Miranda do Douro), Mosteiro de Tibães (Braga), Mosteiro de São Bento da Vitória (Porto), Igreja Matriz de Torre de Moncorvo e Igreja Matriz de Vila do Conde.

As sete candidaturas foram todas aprovadas, num investimento superior a 3 milhões de euros. Deste bolo, 2 milhões provêm de fundos europeus e o restante é a contrapartida nacional.

©2021 MAIS GUIMARÃES - Super8

Publicidade

Fazer login com suas credenciais

Esqueceu sua senha?