PAN alerta para o peso dos hábitos alimentares na pegada ecológica

A Comissão Política Concelhia do PAN (Pessoas, Animais, Natureza) de Guimarães, lamenta que o estudo de perceção e hábitos ambientais dos vimaranenses ignore o impacto ambiental das dietas alimentares.

Foto: DR

A questão surge após a divulgação de uma parceria entre a Universidade das Nações Unidas e o Laboratório da Paisagem (Guimarães) com vista a elaborar um estudo dos hábitos sustentáveis dos vimaranenses. Ao que parece, serão obtidos dados sobre os hábitos ambientais dos vimaranenses, de modo que possam ser comparados com os obtidos num estudo similar realizado em 2015.

O PAN Guimarães consultou o questionário e constatou que não inclui questões sobre os hábitos alimentares, sendo as áreas contempladas no questionário: resíduos, água, energia, transportes e mobilidade, espaços verdes e de lazer, recursos hídricos e informação sobre a temática ambiental.

Segundo Nuno Teibão, porta-voz do PAN Guimarães, “ficamos surpreendidos quando nos apercebemos de que o questionário não incluía os hábitos alimentares dos vimaranenses. Isto porque um estudo recente da Universidade de Aveiro demonstrou que a maior parte da pegada ecológica dos habitantes do concelho se fica a dever à alimentação. Mais do que os transportes ou utilização de energia.”

“No nosso entender, ainda que louvável e justificado, este questionário é uma oportunidade perdida para recolher dados importantes e sensibilizar a população para a adoção de dietas alimentares mais sustentáveis”, acrescenta Nuno Teibão

O PAN Guimarães faz saber que propôs à vereadora Sofia Ferreira e ao presidente do Laboratório da Paisagem que inclua a questão alimentar em estudos e ações futuras.

©2021 MAIS GUIMARÃES - Super8

Fazer login com suas credenciais

Esqueceu sua senha?