Partido Socialista tem de sair da sede no Toural até ao fim do ano

O empréstimo do edifício foi prolongado para não interferir com as eleições para a concelhia socialista.

© Eliseu Sampaio / Mais Guimarães

O PS Guimarães terá de abandonar as instalações onde funciona a sede do partido, no número 125 do largo do Toural, até ao final do ano de 2024. O edifício foi emprestado aos socialistas, há mais de 20 anos, pelo empresário Victor Magalhães, presidente do Moreirense FC. O empresário fez um acordo com o atual presidente da concelhia, Ricardo Costa, que estipula como data limite para da a cedência o final deste ano.

Uma das primeiras tarefas do próximo líder da Concelhia Socialista será encontrar uma nova casa. Recorde-se que o PS local vai a votos, nos dias 5 e 6 de julho, para escolher um novo líder de entre três candidaturas: uma liderada pelo atual presidente, o deputado na Assembleia da República, Ricardo Costa; outra encabeçada pelo vereador Paulo Lopes Silva; e uma terceira protagonizada pelo ex-chefe de gabinete do atual presidente da Câmara, Vítor Oliveira.

Emprestado a António Magalhães

Victor Magalhães nem se lembra do ano em que comprou o edifício, onde nunca entrou, confessa. “A única coisa que me lembro é que ainda foi pago em escudos”, recorda. Ao longo dos anos, os andares superiores do edifício sempre estiveram emprestados ao Partido Socialista. “Foi ainda no tempo de António Magalhães que eu cedi o espaço, depois, quando veio o doutor Domingos Bragança, de quem sou amigo há muitos anos, a situação foi-se mantendo, um mandato, dois, três. Naturalmente, agora é tempo de mudar”, afirma. O empresário deixa transparecer que quer aproveitar a saída do “amigo de longa data”, Domingos Bragança, para reaver a posse do edifício.

“Já tive um projeto aprovado para aquele espaço e acabou por caducar. No rés-do-chão está a Camir [pastelaria] e está muito bem, para os andares superiores terei que fazer um novo projeto”, afirma Vítor Magalhães. “Manifestei a minha intenção de recuperar o imóvel ao atual presidente do PS que me pediu para ficar até ao final do ano. Acabei por aceder e fizemos um acordo que termina em dezembro”, informa.

© Eliseu Sampaio / Mais Guimarães

Candidatos preocupados

O candidato à presidência da Conselhia, Paulo Lopes Silva, afirma que não tem conhecimento oficial da notificação para sair das instalações, “uma vez que não pertence ao Secretariado”. Todavia, “no Relatório e Contas do ano passado verifiquei com preocupação que deixamos de pagar a renda do edifício que tínhamos na rua Gil Vicente”, pondera. “Quer dizer que deixamos de ter plano B”, aponta.

Já Vítor Oliveira, mostra-se preocupado, embora também afirme desconhecer os contornos do contrato entre o PS Guimarães e Victor Magalhães. “Seja lá como for, esta é uma questão para a qual o futuro líder da concelhia terá de encontrar uma solução de carácter definitivo”, avança.

Pelo jornalista Rui Dias.

PUBLICIDADE

Arcol

Partilhar

PUBLICIDADE

Ribeiro & Ribeiro
Instagram

JORNAL

Tem alguma ideia ou projeto?

Websites - Lojas Online - Marketing Digital - Gestão de Redes Sociais

MAIS EM GUIMARÃES