PROTEÇÃO CIVIL AVISA: VENTO FORTE E CHUVA MANTÊM-SE ATÉ DOMINGO

O Serviço Municipal da Proteção Civil avisa que a intensidade do vento deverá manter-se até à meia-noite de domingo. Realça-se ainda a previsão de ocorrência de nevoeiros e neblinas matinais durante as próximas 24h.

©  Direitos Reservados

Um comunicado do Serviço Municipal da Proteção Civil (SMPC) aponta que, de acordo com a antevisão meteorológica disponibilizada pelo Instituto Português do Mar e da Atmosfera, prevê-se um quadro meteorológico adverso para o período entre as 00h00 e as 24h00 de domingo dia 22, caracterizado por: manutenção da Intensidade de Vento com rajadas até 50km/h e com rajadas até 90km/h nas terras altas. Realça-se ainda a previsão de ocorrência de nevoeiros e neblinas matinais durante as próximas 24h.

Segundo o SMPC, face à situação acima descrita, poderão ocorrer efeitos como piso rodoviário escorregadio e eventual formação de lençóis de água, a possibilidade de cheias rápidas em meio urbano por acumulação de águas pluviais ou insuficiência dos sistemas de drenagem; a possibilidade de inundações em zonas historicamente mais vulneráveis em resultado do transbordo de linhas de água; inundações de estruturas urbanas subterrâneas em virtude de deficiências de drenagem; danos em estruturas montadas ou suspensas; possibilidade de queda de ramos ou árvores em virtude de vento mais forte; fenómenos geomorfológicos causados por instabilização de vertentes associados à saturação dos solos, pela perda da sua consistência.

O SMPC deixa ainda o aviso que o eventual impacto destes efeitos pode ser minimizado, “nomeadamente através da adoção de comportamentos adequados, pelo que, e em particular nas zonas historicamente mais vulneráveis, se recomenda a observância e divulgação das principais medidas de autoproteção para estas situações”. Nesse sentido, aconselha-se no a desobstrução dos sistemas de escoamento das águas pluviais e retirada de inertes e outros objetos que possam ser arrastados ou criem obstáculos ao livre escoamento das águas; a adoção de uma condução defensiva, reduzindo a velocidade e tendo especial cuidado com a possível formação de lençóis de água e acumulação de água nas vias; que •não se atravessesse zonas inundadas, de modo a precaver o arrastamento de pessoas ou viaturas para buracos no pavimento ou tampas de saneamento abertas; Garantir uma adequada fixação de estruturas soltas, nomeadamente, andaimes, placards e outras estruturas suspensas; estar atento às informações da meteorologia e às indicações da Proteção Civil e Forças de Segurança.

©2021 MAIS GUIMARÃES - Super8

Publicidade

Fazer login com suas credenciais

Esqueceu sua senha?