PS: HÁ DUAS LISTAS NA CORRIDA À CONCELHIA E ISSO “É SINAL DE VITALIDADE”, DIZ PAULO FREITAS DO AMARAL

Candidato manifesta apoio a Ricardo Costa para a federação distrital e estranha silêncio por parte de Luís Soares nesta questão. Caso vença, Paulo Freitas do Amaral também quer “abolir” a acumulação de cargos.

Não existiam duas listas na corrida à concelhia em Guimarães há 25 anos. ©Direitos Reservados

Paulo Freitas do Amaral é um dos candidatos à Comissão Política Concelhia do Partido Socialista de Guimarães. A lista encabeçada pelo também secretário da Santa Casa da Misericórdia vimaranense aponta cinco compromissos. Com os olhos postos sobre as eleições autárquicas, agendadas para 2021, e caso seja eleito, Paulo Freitas do Amaral manifesta o desejo de deliberar a não acumulação de mais de um cargo público por militante. “O presidente atual da concelhia acumula cargos, e isso é uma coisa a abolir se ganharmos. Não há incompatibilidade legal, mas ele é deputado, presidente da junta, membro da federação, da comissão nacional”, aponta o candidato. O facto de entrar na corrida contra Luís Soares, também presidente da Junta de Freguesia de Caldelas, representa, para Paulo Freitas do Amaral, “um sinal de vitalidade no partido”. É que, pelo menos em Guimarães, não existiam duas listas concorrentes à concelhia há 25 anos.

A sua equipa é liderada, para a Presidência da Mesa de Assembleia, por Silvestre Barreira. O jornalista, que também trabalhou no jornal vimaranense “O Povo”, tem mais de 20 anos de militância e enquadra-se na ala mais à esquerda do partido, ao contrário de Paulo Freitas do Amaral: “Na lista, tenho pessoas de várias sensibilidades. Mas eu sou mais moderado”, esclarece, ao Mais Guimarães. Posicionado na ala mais à direita do PS, o candidato frisou a necessidade de “trazer ideias novas” para cima da mesa. A mulher mais antiga da concelhia, Maria Helena Almeida, também integra a lista, bem como Ermelinda Oliveira, vereadora no mandato de António Magalhães. A delegada sindical Armanda Gonçalves também faz parte do painel de militantes reunidos pelo candidato, bem como Isabel Alves ou Sara Oliveira.

Outro dos pontos frisados é o total apoio à candidatura à presidência federação distrital do vereador vimaranense Ricardo Costa. Ao Mais Guimarães, Paulo Freitas do Amaral referiu “ser uma falha” não terem existido esforços para impulsionar a candidatura de alguém vimaranense à distrital “nos últimos dois anos”. O candidato à concelhia socialista vimaranense também refere que Luís Soares ainda não manifestou o seu apoio à candidatura de Ricardo Costa, algo que, na sua ótica, é um “estranho silêncio”: “É essencial fazer apoio à candidatura. Pelos vistos, Luís Soares não se pronuncia.” Assim, refere a Moção de “Ter Opinião é fazer a União”, a lista não se quer alinhar “numa estratégia que permitiu que o PS Braga não detenha qualquer militante governante no maior Governo da história da democracia”, algo que o candidato reforçou, em outubro, ao Mais Guimarães.

A candidatura de Paulo Freitas do Amaral também quer instituir a criação de “três secções de residência do PS no concelho de Guimarães, cada uma com os seus órgãos próprios de acordo com os estatutos”, para fazer com que os militantes possam escolher os candidatos aos órgãos autárquicos. Nesse sentido, a lista apoia a recandidatura de Domingos Bragança à Câmara Municipal de Guimarães “sem ambiguidades”, prometendo “cem por cento de liberdade para fazer a sua equipa” para as eleições. “O atual presidente escolheu a sua equipa e escolheu muito bem. Está a haver algumas resistências a dar essa liberdade. O sucesso nas eleições não é deste presidente da concelhia, mas sim do anterior”, frisou. O quarto ponto salientado na moção diz respeito à “continuidade para as eleições autárquicas” — e é reforçado o “excelente trabalho desenvolvido pelo ex-presidente da Concelhia”, Armando Costa e Silva. Por último, a candidatura de Paulo Freitas do Amaral propõe a criação de uma “escala rotativa” entre todos os militantes e independentes pertencentes à Assembleia Municipal e às Assembleias de Freguesias.

Paulo Freitas do Amaral procura, ainda, que o PS em Guimarães “se possa reconciliar com o passado”. “Queremos que António Magalhães possa participar na vida política e ter atividade política”, disse.

As eleições do PS de Guimarães acontecem no dia 01 de fevereiro (próximo sábado), entre as 11h00 e as 19h00, na sede do partido na cidade, no Largo do Toural.

©2020 MAIS GUIMARÃES - Super8

Fazer login com suas credenciais

Esqueceu sua senha?