Réplica da espada de D. Afonso Henriques será entregue a Marcelo Rebelo de Sousa

© Mais Guimarães

A Grã Ordem Afonsina, associação vimaranense, preparou um conjunto de iniciativas para assinalar o 24 de junho, dia em que “Portugal faz anos, em que celebramos os 893 anos da Batalha de S. Mamede, quando se deu a primeira tarde portuguesa”, disse Florentino Cardoso, presidente da direção da Grã Ordem, na conferência de imprensa realizada esta terça-feira.

Segundo Florentino Cardoso, o dia 24 de junho tem de ser “definitivamente assumido como o Dia de Portugal. Não faz sentido que se comemore, por exemplo, a Restauração da Independência, e não se comemore, devidamente, a Fundação do país”, acrescentou. “Muitos historiadores defendem agora que a independência foi um processo. Mas esse processo teve um início, que foi claramente no dia 24 de junho de 1128”, rematou o dirigente.




Das iniciativas da associação, destaque para a entrega, no dia 24, pelo presidente da Câmara Municipal de Guimarães, Domingos Bragança, “em representação da Grã Ordem Afonsina e do povo vimaranense” de uma réplica da espada de D. Afonso Henriques, do primeiro Rei de Portugal, atualmente em exposição no Museu Militar do Porto, e elaborada utilizando “métodos ancestrais” pelas “mãos hábeis, dedicadas e devotadas de artesãos vimaranenses”.

“Esta peça celebra também as tradições vimaranenses, concentrando em si 3 saberes ancestrais: a cutelaria; a marcenaria e os curtumes. Quisemos portanto neste objeto e na caixa que o irá envolver demonstrar que Guimarães preserva o que de melhor tem”, poderá ler-se no documento que acompanhará a oferta ao Presidente da República.

Na manhã de quinta-feira, dia 24 de junho, decorrerá uma missa na igreja da Oliveira em que será benzida a espada, e posteriormente será levada, em cortejo, entre o Padrão do Salado e a Estátua do Rei, que sita junto ao Paço dos Duques de Bragança.




Pelas 11h28, decorrerá, na livraria Rimas e Tabuadas, a apresentação do livro” O Primeiro” da autoria do escritor vimaranense Paulo César Gonçalves, e dedicado à figura de D. Afonso Henriques.

Destaque também para a instalação de uma imagem de grandes dimensões na fachada do Café Milenário, no Largo do Toural, lembrando que “Portugal faz 893 anos”.

No dia 26, sábado, pelas 16h00, no espaço IDEGUI – Instituto de Design de Guimarães, terão lugar as  Primeiras Jornadas do Património Cultural Intangível de Guimarães.

Hermenegildo da Encarnação, mestre em Ciências Religiosas e Doutor em Estudos da Religião, será o moderador do encontro que tem como convidados Carlos Coelho, que abordará a importância das marcas Portugal e de D. Afonso Henriques para a valorização do país e de Guimarães, marcas “com quase nove séculos de história”, e Ricardo Chao Prieto, reconhecido historiador espanhol que abordará as relações entre D. Afonso Henriques e outras cortes.

As  Primeiras Jornadas do Património Cultural Intangível de Guimarães têm o apoio da Câmara Municipal de Guimarães.

©2021 MAIS GUIMARÃES - Super8

Publicidade

Fazer login com suas credenciais

Esqueceu sua senha?