Tudo o que precisa de saber para votar nas presidenciais

Tire aqui as suas dúvidas sobre o escrutínio para eleger o Presidente da República. O processo já está em marcha, para os eleitores hospitalizados ou reclusos, o prazo para solicitar o voto noutro local já terminou. Para quem está no estrangeiro, ou deslocado dentro do país, ou simplesmente não quer ir às urnas no dia 24, o prazo está a decorrer. Nesta eleição há a novidade de haver um mecanismo que permite a quem está em confinamento votar a partir sem sair de casa.

Votar num local diferente daquele onde fica a sua mesa de voto

Estudantes ou trabalhadores que se encontrem deslocados do seu local de residência habitual, não precisam de se deslocar para exercer o seu direito de voto. O voto em mobilidade serve também para aqueles que não pretendam comparecer nas urnas no dia das eleições, independentemente das razões para esse impedimento. Todos podem pedir para votar em mobilidade, entre dia 10 e dia 14 de janeiro, por via postal ou na página do Ministério da Administração Interna. Os eleitores podem escolher o concelho onde querem votar. E exercem o seu voto no domingo anterior ao da data das eleições.

Votar a partir do estrangeiro

No estrangeiro, o prazo para inscrição no voto antecipado decorre entre dia 12 e dia 14 de janeiro . Destina-se a eleitores recenseados em território nacional e deslocados no estrangeiro (por um dos motivos previstos na lei, como trabalho). O voto é exercido nas embaixadas ou consulados que já foram previamente definidos pelo Ministério dos Negócios Estrangeiros.

Votar noutro dia

O voto antecipado teria que ser solicitado até ao passado dia 4 de janeiro. De acordo com o Ministério da Administração Interna, 2.617 pessoas inscreveram-se para o voto antecipado, que se destina a eleitores hospitalizados ou reclusos. Nestes casos, a mesa de voto, liderada pelo presidente da Câmara, desloca-se aos hospitais e aos estabelecimentos prisionais.

Votar em confinamento

Nestas eleições presidenciais, em virtude da pandemia, vai ser a possivel, aos eleitores confinados por razões sanitárias, exercerem o direito de voto em casa. Quem pretender fazê-lo deve inscrever-se entre quinta-feira, dia 14 e domingo, dia 17), na página de internet do MAI, ou na Junta de Freguesia onde estão recenseados, através de terceiro que apresente declaração assinada e cópia do seu documento de identificação. Entre os dias 19 e 20, uma equipa, liderada pelo presidente da Câmara, desloca-se ao domicílio do eleitor inscrito. Os boletins de voto assim recolhidos, ficarão 48 horas em quarentena.

Saber o local e a mesa de voto

Pode saber onde fica o seu local de voto e a mesa a que deve dirigir-se na página do MAI, vai-lhe ser pedido o número de identificação civil (Cartão de Cidadão) e a data de nascimento. As mesas de voto estarão abertas entre as 8h00 e as 19h00.Para votar, basta indicar o seu nome e apresentar o cartão de cidadão ou outro documento oficial com fotografia. Caso não tenha nenhum destes documentos, a sua identidade pode ser reconhecida unanimemente pela mesa ou por dois eleitores devidamente identificados.

Atenção aos boletins de voto

O primeiro candidato que aparece no boletim de voto, o tenente-coronel Eduardo Baptista, não conta para esta eleição. O tenente-coronel não reuniu as assinaturas necessárias para tornar oficial a candidatura.

Levar máscara e caneta

 O uso de máscara é obrigatório, levar uma caneta é apenas recomendado. Se não levar a sua própria caneta pode usar uma das que existem em cada mesa e que serão periodicamente desinfetadas. Nos locais de voto também haverá o omnipresente álcool-gel.

©2021 MAIS GUIMARÃES - Super8

Publicidade

Fazer login com suas credenciais

Esqueceu sua senha?