VIMARANENSES RETIDOS EM WUHAN DEVIDO AO CORONAVÍRUS

©Direitos Reservados

Três vimaranenses estão retidos em Wuhan, na China. A cidade está fechada: as autoridades proibiram, por período indeterminado, as entradas e saídas de Whan e de outras duas cidades vizinhas de modo a evitar a propagação da epidemia do coronavírus. Miguel Matos, Luiz Felipe e Luís Estanislau fazem parte da equipa técnica do Hubei Chufeng Heli, um clube de futebol de Wuhan.

À agência Lusa, Miguel Matos, treinador de guarda-redes do clube que compete na terceira divisão chinesa de futebol, referiu que foi notificado esta quinta-feira “que não podia sair da cidade”. “Autoestradas, ligações ferroviárias e aéreas, está tudo fechado”, descreveu à agência noticiosa, acrescentando: “Não podemos sair daqui”. Já à TSF, Luís Estanislau, treinador adjunto no clube, descreveu o cenário na cidade: “Esta cidade habituou-nos a muita confusão, muito barulho, muitas pessoas na rua e muito tráfego. Agora é impressionante ver uma cidade de 11 milhões de habitantes passar a estar deserta da noite para o dia.”

O dia-a-dia é dificultado pelas restrições impostas pelo Governo e autoridades: “Hoje de manhã, por exemplo, foi muito difícil para nós comprar comida porque o governo e as autoridades pedem para ficarmos em casa, para não sairmos. Foi uma loucura incrível, uma corrida até aos supermercados para comprar mantimentos para vários dias”, contou à TSF. Luís Estanislau referiu ter saído da cidade na quinta-feira, mas sem sucesso. E, até 29 de março, as ligações estarão “cortadas”, referiu, de acordo com a informação que reuniu da companhia aérea pela qual tinha marcado o voo de regresso, entretanto cancelado.

Com as ligações cortadas, muitas pessoas foram apanhadas desprevenidas, uma vez que, nesta altura, assinala-se o início das férias do Ano Novo Lunar. De acordo com o ministério chinês dos Transportes, ao longo dos próximos 40 dias registar-se-ão “três mil milhões de viagens internas durante os próximos 40 dias”.

O vírus foi detetado em dezembro passado, num mercado de mariscos em Wuhan, capital da província de Hubei. De acordo com um estudo da Universidade de Pequim e da Universidade de Bioengenharia de Wuhan, “o surto do coronavírus poderá ter tido origem nas cobras vendidas no mercado”, diz o site Notícias ao Minuto. Até ao momento, cerca de 600 pessoas foram infetadas pelo vírus e 17 morreram. Há já quatro casos em estudo na Escócia por suspeita de infeção do coronavírus.

©2020 MAIS GUIMARÃES - Super8

SUBSCRIÇÃO GRÁTIS

RECEBA O JORNAL MAIS GUIMARÃES

NO SEU EMAIL

Fazer login com suas credenciais

Esqueceu sua senha?