fbpx

VITÓRIA ENCURTA DISTÂNCIA PARA A EUROPA COM TRIUNFO CASEIRO CONTRA O TONDELA

Os Conquistadores construíram o resultado no primeiro tempo, numa partida dificultada pelas condições meteorológicas. Com este triunfo, o Vitória está mais perto dos lugares europeus.

Vitorianos não ganhavam em casa há dois jogos © Direitos Reservados

O Vitória voltou a ser feliz em casa. Depois de dois jogos seguidos sem conquistar os três pontos no Estádio D. Afonso Henriques, os vitorianos voltaram a assumir o papel de anfitriões e, num jogo de elevada dificuldade – para além do registo positivo do Tondela fora de portas, as condições climatéricas não ajudaram –, superiorizaram-se ao adversário (2-0) e obtiveram um triunfo que permite encurtar distâncias para os candidatos à qualificação europeia.

A equipa orientada por Ivo Vieira passa a somar 34 pontos na tabela, está a três do Rio Ave e ascende, de forma provisória, ao 6.º lugar, em permuta com o Famalicão, que só joga esta segunda-feira.

O Vitória entrava para campo motivado: para além do triunfo moralizador na vila das Aves, os vimaranenses foram recebidos de forma calorosa pelos adeptos que participaram na “Marcha Preta e Branca”, que encheu as ruas da cidade-berço.

Os minutos iniciais da partida foram quase como um livro de instruções para os 90 minutos da partida. A combinação entre vento e chuva que assolou Guimarães na tarde deste domingo prolongou-se para a noite e o relvado dificultou a vida dos intervenientes. A formação de pequenos charcos tornava o jogo imprevisível e obrigou as equipas a adotarem um jogo mais direto. Os primeiros sinais do Tondela apontavam para uma equipa que iria discutir o jogo. Uma pressão eficaz em zonas avançadas inquietou por diversas vezes a defesa vitoriana nos primeiros dez minutos da partida.

A equipa de Ivo Vieira foi-se adaptando ao que o jogo pedia e assumiu as despesas da partida a partir da marca dos 20 minutos. Com algumas bolas paradas desperdiçadas para mostrar, os Conquistadores assustaram por intermédio de Ola John. Uma incursão pela esquerda do holandês indiciou uma maior propensão para atacar pelas alas. Ora pela esquerda ora pela direita o Vitória somava cruzamentos e duas solicitações pela faixa direita do ataque do Vitória resultaram em golo. Primeiro foi Sacko a enviar uma bola precisa para o coração da área dos beirões para uma resposta exímia de Bruno Duarte, que salta mais alto do que a defesa dos homens que vestiram de vermelho e cabeceia de cima para baixo para o golo. Claúdio Ramos apenas esboçou reação.

O caudal ofensivo do Vitória ampliou o marcador à passagem dos 41’. André André repete o nome na lista de marcadores e, depois de na vila das Aves ter terminado um período de mais de um ano sem qualquer golo, deu tranquilidade aos 12.711 adeptos que marcaram presença no Castelo com um remate no coração da área.

O combativo Poha e a estreia de Ouattara

A assistência foi do francês Denis Poha, que rendeu Lucas Evangelista no onze titular. Ivo Vieira fez duas alterações em relação ao triunfo da semana passada nas Aves. Para além do francês, que emprestou combatividade ao meio-campo, o ‘timoneiro’ também lançou Davidson no lugar de Marcus Edwards. O brasileiro ia mostrando lampejos de lucidez e as movimentações do brasileiro iam pondo em sentido os tondelenses.

A chuva não cessava e o jogo manteve a toada no segundo tempo, que trouxe um Vitória à imagem do que terminou a primeira metade da partida. A equipa mostrava maturidade a gerir o jogo e ameaçou por intermédio do capitão André André. O médio apareceu na cara de Claúdio Ramos, mas optou pelo cruzamento.

Ainda antes de estar cumprida a hora de jogo, o Tondela deu sinal de  ainda estar vivo no jogo. Primeiro através de um lance que colocou Richard Rodrigues na cara de Douglas – o fiscal de linha levantou a bandeira depois de Douglas ter feito a mancha – e depois na sequência de um canto, lance que causou confusão na área vitoriana.

O jogo acalmou e permitiu a estreia do novo reforço. Ouattara entrou na partida aos 76’ e por pouco não teve uma estreia de sonho já que, dois minutos depois de ter entrado, faz uma arrancada pela esquerda e só o guardião tondelense impediu nova mexida no marcador.

O Tondela ainda forçou nos últimos dez minutos, mas apesar de ter sondado e ameaçado a baliza de Douglas não conseguiu materializar as ocasiões em golo.

O jogo chegou ao fim sem mais alterações no marcador. O Vitória voltou a não sofrer golos pelo segundo jogo consecutivo.

0 Comentários

Envie uma Resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

*

©2020 MAIS GUIMARÃES - Super8

SUBSCRIÇÃO GRÁTIS

RECEBA O JORNAL MAIS GUIMARÃES

NO SEU EMAIL

Fazer login com suas credenciais

Esqueceu sua senha?