A BASÍLICA DE SÃO TORCATO

Paulo Novais,

Juiz da Irmandade de São Torcato e Professor de Inteligência Artificial


Sua Santidade o Papa Francisco elevou à dignidade de Basílica o Santuário de São Torcato, correspondendo ao anseio dos Irmãos e Devotos do Santo do Povo e ao pedido do Rev. Dom Jorge Ortiga, Arcebispo de Braga.

No decorrer dos dois últimos anos, a Mesa da Irmandade de São Torcato elaborou um processo de candidatura complexo que se materializou no dia 27 de fevereiro de 2020. Este caminho, a que hoje chegamos, é o corolário de uma devoção que se perde nos tempos e na origem da cristandade.

São Torcato é descendente de uma nobre família dos Torcatos Romanos, originário da cidade de Toledo. Foi Bispo de Braga em 693, sendo o último residente em Braga até à elevação arquiepiscopal em 1070. Devido à invasão moura, os seus sucessores estabeleceram-se em Lugo, na Galiza, durante mais de dois séculos.

Foi morto pelo general Muça, na companhia de seus fiéis companheiros em número de vinte sete. Nesse local, onde se testemunhou a Sua Fé em heroico martírio, rebentou uma fonte de água milagrosa que ainda se conserva e aí se construiu uma pequena Ermida hoje designada Capela da Fonte do Santo.

Em S. Torcato existe, desde o Séc. XI, um mosteiro doado por D. Afonso Henriques aos Cónegos Regrantes de Santo Agostinho. Aí se conservou e venerou a relíquia do corpo incorrupto de São Torcato, cujo culto, ao longo dos séculos, se desenvolveu de tal forma que houve necessidade de edificar um templo mais consentâneo com a dimensão da devoção.

A Irmandade iniciou então as obras em 1825 com o projeto do Arq. Barros Lima, no local denominado “Penedos de Maria do Monte Maio”. Assumiram uma particular relevância os Irmãos de peditório, cuja missão, para além da propagação do culto, foi a de angariar esmolas que permitiram a execução do projeto. Em 1868, foi lançado um concurso internacional para um projeto mais ambicioso de um grandioso santuário, que viria a ser entregue ao Arq. Louis Bohnfeld. A obra teve início nesse ano e foi inicialmente acompanhada pelo Arq. Cesário Pinto (1825-1896). Mais tarde, a Irmandade resolveu (novamente) reajustar a topologia do templo sob a orientação do Arq. Marques da Silva.

A Basílica é hoje um majestoso templo construído em granito, extraído de um local denominado Pedra Fina. A fachada é constituída por duas torres e um corpo central. No interior do templo encontra-se o corpo incorrupto de São Torcato. Esta construção atravessou todo o século XX, terminando (as obras de edificação) com a cerimónia de sagração, em 25 de outubro 2015, 190 anos depois.

Esta Cerimónia de Elevação do Santuário de São Torcato a Basílica realizou-se no dia de São Torcato, 27 de fevereiro, data em que se comemora o seu martírio e se realiza a Feira dos 27.
Neste dia, a Mesa da Irmandade inaugurou a Via Sacra que simbolicamente une o antigo Mosteiro à Basílica, caminho percorrido aquando da trasladação de São Torcato, em 4 de julho 1825, e um elevador de acesso ao adro da Basílica.

A Carta Pastoral, com que Dom Jorge Ortiga obsequiou os devotos, apresenta o Santo do Povo em quatro grandes dimensões: um culto ininterrupto com mais de 12 de séculos inspirado num crente, o homem extraordinário que foi Bispo, o Mártir e o Santo que, com as suas graças e o seu exemplo, continua hoje a inspirar gerações de crentes. Dom Jorge Ortiga refere, ainda no final da Carta, as obras sem fim. Essa é uma certeza histórica, porque nada nos faz desistir dos nossos sonhos e nada faz esmorecer o entusiasmo e nos dá a felicidade de servir o Santo do Povo.
No passado o povo de S. Torcato demonstrou a sua coragem e determinação em defesa do seu Santo. A Irmandade está grata a todo um legado que lhe foi deixado pelos seus antecessores, ao longo de séculos de história da instituição, sabendo, no entanto, dos novos desafios e caminhos a percorrer… porque este não é um ponto de chegada, mas sim um ponto de partida.

©2020 MAIS GUIMARÃES - Super8

Publicidade

Fazer login com suas credenciais

Esqueceu sua senha?