Gabinete de arquitetura em Guimarães foi alvo de ataque hacker

Foi através de um link para obter um visto de verificação do Instagram – o chamado “selo azul” – que um gabinete de arquitetura sediado em Guimarães foi alvo de um ataque hacker. Tratava-se de uma conta criada há cerca de cinco anos, com sete mil seguidores, através da qual eram realizados cerca de 90% dos negócios da empresa.

© Direitos Reservados

Tudo começou quando o gabinete solicitou àquela rede social o visto de verificação, que foi recusado uma primeira vez. Na segunda tentativa, o pedido foi validado e ficou em revisão. A situação alterou-se esta quarta-feira à noite, quando receberam “um comunicado para prosseguir com os restantes passos até alcançar esse visto”.

“Tínhamos que fazer dois ou três passos simples. Na nossa inocência, iniciámo-los. Estes passos levaram-me para uma página muito credível, a nível de imagem e a nível de fonte, que era algo como “service instagramcenter.com”. Estavam presentes todos os simbolos do Facebook, do Instagram, inclusive a morada da Meta”, descreveu ao Mais Guimarães o responsável pela empresa.

Os passos incluíam a colocação do nome de usuário e palavra-passe. E foi precisamente quando esta última apareceu inválida que começaram as suspeitas. Passados alguns minutos, o hacker iniciou contacto através de WhatsApp, em inglês, para ameaçar o bloqueio das contas das várias redes sociais, caso não fosse concretizado o pagamento de 1400 euros em bitcoin.

Com um mercado maioritariamente internacional, o responsável viu-se forçado a realizar o pagamento por forma a manter a página como fonte de contacto com os seus clientes. “Ponderei se deveria ou não pagar. Durante aquele período de indecisão reparei que a conta de Instagram estava completamente “branca”, apenas tinha o nosso logótipo e cabeçalho”, detalhou, acrescentando que a falta de acesso às restantes redes socias e Dropbox foram o motivo pelo qual decidiu ceder à chantagem do informático.

“Mal o pagamento foi processado, foi-nos enviada uma lista com todos os códigos necessários, que nos permitiu desbloquear todas as páginas”. O gerente adianta ainda que lhe foi explicado que o valor solicitado está diretamente relacionado com o alcance da página e que as páginas empresariais são os principais alvos.

Questionado sobre a possibilidade de uma nova tentativa de extorsão, o gerente assegura que adotou novos procedimentos para proteção das contas, que deverão ser suficientes para prevenir um novo ataque. Garante ainda que vai apresentar queixa às autoridades e à própria rede social por onde o ataque foi veiculado.

©2023 MAIS GUIMARÃES - Super8

Publicidade

Fazer login com suas credenciais

Esqueceu sua senha?