Guillermo Celis deixa futebol para lutar contra depressão

Guillermo Celis, que representou o Vitória entre 2016 e 2018, deixou o futebol devido a uma depressão. O colombiano, de 28 anos, estava a representar o Tolima. “Tomei a decisão de sair, porque não me sentia bem mentalmente”, disse em entrevista ao jornalista Juan Felipe Cadavid.

© Direitos Reservados

“Aconteceram muitas coisas desde a minha chegada. Sentia-me em pleno das minhas capacidades na pré-temporada e provei-o, mas comecei a sentir que não era importante e que a equipa não me fazia sentir importante. Comecei a entrar em desespero. O jogador de futebol é feliz quando joga e gosta de se sentir importante. Comecei a ficar ansioso e desesperado porque sentia que tinha feito o necessário para jogar. Era algo que não controlava”, afirmou o jogador colombiano.

Desde que tomou a decisão, “tem sido muito difícil”, mas, diz, não se “sentia com capacidade mental para ajudar e colaborar com a equipa”. Acrescenta ainda que “ouvia coisas sobre a depressão, mas quando acontece contigo é quando conheces a realidade. Foi muito complicado ter de tomar medicamentos todos os dias. Passam os dias e não vês solução para o que está a acontecer, estar a sentir coisas estranhas no teu corpo, sensações de sair a correr. É simplesmente isso: desespero, ansiedade, os dias a passar e tu não encontras uma saída para as coisas”.

Guillermo Celis assumiu que esta é “uma doença muito normal” e adiantou que “surgiu por causa do trabalho”, o que mais ama fazer.

“As pessoas dão-te conselhos, falam contigo e colocam-te a mão no ombro para dizer que vais sair dessa situação. Mas quem está a sentir as coisas sou eu. Sei que o fazem para meu bem, mas isto é uma coisa muito pessoal e estou a apoiar-me nos médicos. Antes falavam-te de depressão e diziam que estavas louco. É uma doença muito normal. Isto surgiu por causa do meu trabalho que é o que mais amo fazer”, referiu.

©2022 MAIS GUIMARÃES - Super8

Publicidade

Fazer login com suas credenciais

Esqueceu sua senha?