Juntos por Guimarães repudia corte de árvores nas Taipas

A Coligação Juntos Por Guimarães na Assembleia de Freguesia de Caldelas afirma que foi surpreendida pelo corte indiscriminado de árvores na Vila de Caldas das Taipas. A Coligação diz que, há mais de 20 anos, se bate pela descentralização da gestão do parque arbóreo das Taipas e que a Câmara Municipal sempre negou essa competência à vila das Taipas.

Foto: Rui Dias

“Essa surpresa gerou indignação, cujo eco não podemos calar”, afirmam os elementos da Assembleia de Freguesia eleitos pela Coligação Juntos por Guimarães, em comunicado.

“Por causa da nossa insistência na poda e tratamento das árvores das Taipas, o Presidente da Câmara Municipal de Guimarães ameaçou publicamente o Presidente da Junta de então, Constantino Veiga, com processo crime se ousasse podar e tratar das árvores das Taipas”, diz também o comunicado.

A Coligação acusa ainda o atual presidente da Junta de Freguesia, Luís Soares, de sempre ter concordado com a posição da Câmara Municipal.

Para a Coligação, ficou clara a preocupação de Constantino Veiga, na altura presidente da Junta, de influenciar a arquitecta responsável pelo projeto de requalificação do centro da vila, no sentido de preservar as árvores, como elemento caracterizador e identitário.

“Foi-lhe garantido que só as árvores que se encontravam em mau estado de conservação iriam ser abatidas para serem substituídas por outras”, assegura a Coligação Juntos por Guimarães.

“O diagnóstico das árvores que teriam de ser abatidas por mau estado de conservação seria objeto de perícia da Universidade de Trás dos Montes, como veio a acontecer, estudo pago com dinheiros públicos que a câmara agora ignora ao abater árvores caracterizadas como saudáveis”, acusam.

A Coligação Juntos por Guimarães volta a lembrar o episódio em que este projeto foi posto à consulta e discussão numa casa de chá da vila, “preterindo a Junta de Freguesia.”

Segundo a Coligação, foi a Junta de Freguesia presidida por Constantino Veiga que demoveu a Câmara Municipal de demolir o coreto.

“A Junta de Freguesia de Luís Soares anuncia quase diariamente que acompanha as obras na vila. Estranhamente, o Presidente da Junta e o seu executivo estavam ausentes quando dizimaram as árvores”, afirma a Coligação Juntos por Guimarães. É evidente que a Junta de Freguesia não gosta de árvores: cortou as que existiam no antigo mercado; faz vista grossa ao corte de raízes das árvores na Alameda do Parque de Lazer para ajustar o betuminoso nos passeios; e concorda, como resulta do seu fastidioso comunicado, com o corte das árvores nas Taipas”, acrescenta a Coligação.

A Coligação Juntos por Guimarães termina dizendo que repudia o corte das árvores e não se revê, não só o do centro, que considera “gravemente descaracterizadores da Vila pois não respeitam a sua história e identidade”.

©2021 MAIS GUIMARÃES - Super8

Fazer login com suas credenciais

Esqueceu sua senha?