Ministro da Cultura reconhece “dinâmicas culturais emergentes e inovadoras” em Guimarães

O ministro da Cultura, Pedro Adão e Silva, esteve em Guimarães esta terça-feira, 18 de outubro, numa visita integrada no percurso dedicado à “Cultura que somos”, com o objetivo de conhecer as diferentes dinâmicas culturais do país.

© Direitos Reservados

Acompanhado pelo presidente da Câmara Municipal de Guimarães, Domingos Bragança, e pelo vereador da Cultura, Paulo Lopes Silva, Pedro Adão e Silva foi conduzido por Ricardo Areias pelas várias áreas culturais e artísticas que compõem o CAAA Centro para os Assuntos da Arte e Arquitectura, tomando contacto com a realidade de um espaço que considerou “trabalhar as margens com inovação e transgressão, através de linguagens disruptivas”. O ministro disse ainda que é seu papel “estar atento e ouvir as pessoas, não apenas em contextos institucionais, mas também em contextos em que emerge uma cultura urbana que importa apoiar e preservar”.

Para além de uma visita guiada ao CAAA, Pedro Adão e Silva teve ainda tempo para conhecer o trabalho e as aspirações da produtora de cinema Bando à Parte, do realizador e produtor vimaranense Rodrigo Areias, e de conversar com representantes da Revolve, Elephant Musik, Capivara Azul e coro comunitário Outra Voz. O ministro da Cultura considera que as expressões culturais que emergem deste tipo de associações desempenham “um papel relevante numa forte atividade cultural que pode ser encontrada nesta região do país”, nomeadamente nas cidades que compõem o Quadrilátero Urbano, Guimarães, Braga, Barcelos e Famalicão.

Domingos Bragança, presidente da Câmara, lançou o desafio ao ministro da Cultura em diálogo com  Rodrigo Areias para que seja levado a cabo um projeto cinematográfico, em formato de série, que faça jus à importância de todo o processo que deu origem à fundação de Portugal, tendo a Batalha de S. Mamede, de 24 de junho de 1128, como ponto central, mas também os três séculos anteriores e posteriores à sua realização, de forma a dar relevo ao papel desempenhado por um conjunto de cidades e regiões de suma importância para a História de Portugal. 

O edil deu como exemplo a Galiza, nomeadamente Santiago de Compostela, mas também o Porto, recuando a Vimara Peres, ou as conquistas mais a sul, como a Batalha de Ourique, entre outras. “Numa altura em que se aproximam as comemorações dos 900 anos da Batalha de S. Mamede, ato fundador de Portugal, esta produção cinematográfica sobre os pilares fundacionais de Portugal deve ser um desígnio nacional, envolvendo apoios do ICA, do Ministério da Cultura e de privados, como por exemplo a Netflix, e deve ter o alto patrocínio da presidência da República. O formato série, devido à extensão temporal dos acontecimentos, é o formato que vejo como mais apropriado para o efeito, tendo já falado com o nosso produtor Rodrigo Areias que vê com bons olhos a ideia”, referiu.

O presidente da Câmara convidou ainda Pedro Adão e Silva para uma futura visita a Guimarães que lhe permita conhecer em pormenor o projeto cultural e artístico do Bairro C, com visita às diferentes infraestruturas como o Instituto de Design, o Teatro Jordão e Garagem Avenida e o Centro Internacional das Artes José de Guimarães, convite que foi aceite pelo ministro da Cultura.

©2023 MAIS GUIMARÃES - Super8

Fazer login com suas credenciais

Esqueceu sua senha?