Não, não está tudo bem!

Por Eliseu Sampaio.

Fiquemos um casa um pouco mais!
Por favor, não estraguemos quanto já conseguimos.

Temos sentido, nos últimos dias, um aliviar da pressão fruto dos números que nos entram pela casa dentro. E ficamos a pensar no quanto é bom sair, regressar à nossa “normalidade” e ao convívio social. Aos beijos e abraços. Comparamos, naturalmente, com Itália ou Espanha e sentimos um grande alívio por não vivermos, atualmente, tamanhas tragédias.

Mas, amigos meus, não facilitem, por favor.
Todos somos agora possíveis transmissores da doença, e ninguém pode dizer, seguro de si, que não a possui.
_A população não está a ser testada convenientemente. Todos já conhecemos pessoas com sintomas que querem fazê-los e não conseguem. Não há testes e os resultados demoram imenso.
_Apesar dos esforços, a maioria dos nossos idosos nos lares também não estão a ser testados como deveriam.
_Não nos prevenidos usando máscaras, simplesmente porque as havia, e é uma medida que continua a tardar.
_Os profissionais de saúde, que têm sido incansáveis, também adoecem, têm limites, e poderão não conseguir estar sempre lá para nós.

Tenham a noção de que, apesar de todos os esforços e de toda a solidariedade que se gerou, os recursos continuam limitados.
E há imensa gente internada e muitos em cuidados intensivos. Muitos deles não vão resistir.

Tu podes ser infectado hoje e fazer este percurso e chegar a um hospital ainda numa altura em que os serviços estarão a rebentar pelas costuras. E podes não ter um ventilador ou alguém que o consiga ligar para ti, de modo a manter-te vivo.

Em Guimarães prepara-se a instalação de um hospital de retaguarda, mas faltam ainda os recursos humanos para o sustentar. Em Braga, há dois camiões frigoríficos à entrada da morgue do hospital!
Isto não passou. Dói e vai continuar a doer!

A curva é só uma linha numa folha de papel. Há ali filhos, pais, muitos avós, e amigos que podemos perder nesta batalha. A nossa luta é connosco. Para os protegermos, temos de conseguir permanecer, todos os que pudermos, em casa!

Não facilites, fica em casa, protege-te e protege os teus e os outros.
Quero abraçar-te quando isto tudo passar.
E vai passar!!!

©2021 MAIS GUIMARÃES - Super8

Publicidade

Fazer login com suas credenciais

Esqueceu sua senha?