NÚMERO DE DESEMPREGADOS CAI EM GUIMARÃES E NOS RESTANTES CONCELHOS DO QUADRILÁTERO

Em novembro, o IEFP registou 5.526 pessoas em situação de desemprego. São menos 100 do que aqueles inscritos em outubro. A tendência de decréscimo verifica-se também em Barcelos, Vila Nova de Famalicão e Braga em comparação com o período homólogo de 2018.

Números do IEFP apontam para a existêncioa de 5.526 ©Direitos Reservados

Os dados divulgados pelo Instituto do Emprego e Formação Profissional (IEFP) apontam para a existência de 5.526 pessoas em situação de desemprego no final do mês de novembro. São menos 100 inscritos em comparação com os números do mês de outubro, no que toca ao concelho vimaranense.

A taxa de desemprego em Guimarães fixa-se nos 6,8% – isto se o cálculo for feito tendo em conta a população ativa registada nos censos de 2011 – e os números não apontam para flutuações significativas quando comparados com os números registados no período homólogo de 2018. Na altura, o IEFP apontava para o registo de 5.621 pessoas no concelho.

Os dados do concelho estão, de resto, na linha da dos nacionais, já que de acordo com os dados divulgados pelo Instituto Nacional de Estatística (INE), “em outubro de 2019, a taxa de desemprego situou-se em 6,5%, mantendo-se inalterado em relação à do mês anterior (setembro) e à de três meses antes (julho), tendo diminuído 0,1 pontos percentuais relativamente ao valor do mesmo mês de 2018”. No entanto, o INE estima que, em novembro, é 6,7%, valor superior em 0,2 ponto percentuais ao do mês anterior”.

Diminuição nos últimos cinco anos

Os números divulgados pelo IEFP permitem verificar que o número de desempregados tem-se mantido estável quando comparado com o período homólogo do ano passado, mas se a comparação for feita tendo em conta os números existentes há cinco anos, a descida é acentuada. Não só em Guimarães, como nos restantes concelhos do Quadrilátero (Barcelos, Braga e Vila Nova de Famalicão).

É perceptível a queda registada em todos os concelhos e se a base de comparação for novembro de 2018, a diferença esbate-se, mas a tendência de queda é perceptível : Braga regista menos 217; Barcelos menos 212; Vila Nova de Famalicão menos 90 desempregados; e Guimarães menos 96. Entre outubro e novembro de 2019, verifica-se que a tendência abrange os restantes concelhos do Quadrilátero (apenas Braga regista um ligeiro aumento no número de inscritos.

Os dados do IEFP para o concelho também discriminam os desempregados segundo características como género, tempo de inscrição e a situação face à procura de emprego. Em Guimarães, há mais mulheres (2.323) do que homens ( 3.203); mais pessoas com um tempo de registo inferior a um ano (3.296) e a esmagadora maioria dos inscritos procuram novo emprego (5.171). Somente 354 dos inscritos está em busca do primeiro emprego.

©2021 MAIS GUIMARÃES - Super8

Fazer login com suas credenciais

Esqueceu sua senha?