Rede de carregamento de veículos elétricos: Proposta “tardia” e “muito pouco ambiciosa”

Guimarães aderiu à “Rede Piloto de Mobilidade Elétrica”, em junho de 2009, com o objetivo de permitir a introdução e utilização de veículos elétricos. Contudo, até hoje, na maior parte do concelho não existem postos de carregamento elétrico. Os postos existentes concentram-se na cidade e nos seus arredores, a maioria das nove vilas do concelho ainda não têm postos de carregamento elétrico.

Em março deste ano, a Câmara Municipal de Guimarães assinou um protocolo de parceria com a Mobi.E para a instalação de um hub de carregamento de veículos elétricos na freguesia de Azurém, na rua Teixeira Pascoais. Este hub terá um posto de carregamento rápido de 150 KW, três postos de carregamento rápido de 50 KW e cinco postos de carregamento normais de 22KW.

Para atingir essa cobertura territorial, a Câmara Municipal de Guimarães pretende lançar agora a concurso quatro lotes de postos de carregamento elétrico, espalhados pelo território do concelho.

Os contratos de concessão de cada lote serão celebrados por um prazo de oito anos, prorrogáveis por mais dois, findo esse tempo a infraestrutura e os equipamentos revertem a favor da Câmara de Guimarães. No total serão 40 postos de carregamento, correspondendo a 80 tomadas, 71 de 72 KW e nove de 20 KW.

O concurso público que a Câmara de Guimarães se propõe lançar para a exploração destes postos estipula que uma empresa não poderá explorar mais de dois lotes.

Sofia Ferreira, vereadora, diz que esta proposta é “um importante passo que Guimarães dá nesta matéria” fazendo referência à “exploração e alargamento de postos de carregamento a todo o concelho”.

A proposta cria “as condições para o alargamento dessa oferta em todas as vilas e também dá resposta a áreas onde se justifica de forma significativa, nomeadamente áreas residenciais e industriais”, garante, dizendo que “vem complementar a oferta atual”.

De acordo com a informação que consta na página Mobi.E, o concelho de Guimarães possui, atualmente, 12 postos de carregamento com 28 tomadas.

Proposta “pouco ambiciosa”

Para Ricardo Araújo, vereador do PSD, “Guimarães é uma cidade que devia ter o objetivo e o compromisso da descarbonização como compromisso prioritário”. Destaca o objetivo de ser Capital Verde, que “tem de deixar de ser meramente um objetivo”.

Esta proposta é, para o vereador, “tardia” e “muito pouco ambiciosa”. São 40 locais, “onde se prevê não uma rede de carregadores rápidos, mas uma rede de carregadores lentos”.

Lembra ainda o tempo que demora a pôr em prática o alargamento de postos de carregamento. “Isto que hoje foi apresentado já devia ter sido apresentado há muito mais tempo e está muito aquém do que devia ser apresentado. Guimarães devia ter uma boa rede e uma boa cobertura de postos de carregamento rápidos de veículos elétricos, nomeadamente nas vilas”, diz o vereador, acrescentando que esta “é mais uma promessa que estava no programa do PS em 2017 que não será cumprida dentro do mandato”.

©2023 MAIS GUIMARÃES - Super8

Fazer login com suas credenciais

Esqueceu sua senha?