Região: Fonte de Pelicanos em Braga classificada como bem de interesse Municipal

A Câmara Municipal de Braga prepara-se para classificar a Fonte do Pelicano como Bem Cultural de Interesse Municipal. A proposta de abertura do procedimento de classificação será votada na Reunião do Executivo Municipal, que se realiza amanhã, 8 de Fevereiro.

A Fonte do Pelicano está situada na Praça Municipal em Braga e é uma estrutura compósita de traça barroca mandada edificar entre 1741 e 1756, pelo Arcebispo D. José de Bragança e com desenho do arquiteto Bracarense André Soares.

Fonte da autarquia explica no comunicado enviado às redações que a Fonte do Pelicano “apresenta um estado de degradação acentuado, sendo visíveis em todos os elementos a presença de líquenes, fungos e musgos. A par da falta de alguns elementos pétreos, a estrutura possui também algumas fissuras”.

Desta forma, é necessária “uma intervenção urgente de limpeza, manutenção e reparação de fissuras e uma adequada e ponderada acção de conservação e restauro dos elementos pétreos”.

A fonte do pelicano é composta por cinco taças dispostas ao centro por uma taça mais elevada relativamente às restantes e ladeada por outras quatro taças mais pequenas. Estas são rematadas por um grupo escultórico e inseridas num tanque quadrilobado, que assenta numa base circular formando dois degraus, sendo estes dois últimos elementos construídos já no Século XX e são da autoria do arquitecto municipal Cortez Marques.

Desconhece-se o lugar primitivo onde a fonte terá sido erguida, provavelmente no jardim do antigo Paço Arquiepiscopal, sendo mais tarde desmontada e levada para o Parque da Ponte. Em 1935, a fonte regressa ao lugar primitivo até ser implantada na Praça Municipal, sendo inaugurada a 30 de Novembro de 1967 na nova localização.

Para Miguel Bandeira, vereador do Património, a Fonte do Pelicano é um “monumento de elevado valor cultural, artístico e patrimonial que, apesar de ter sofrido algumas alterações com a sua deslocação para a Praça Municipal já no Século XX, é testemunho de uma época áurea da história da Cidade”.

Segundo o vereador, a Fonte do Pelicano é a primeira de um conjunto de cinco fontes históricas que a Câmara Municipal pretende classificar durante este ano, e que inclui ainda a Fonte do Castelo (Largo do Paço), a Fonte do Campo das Hortas, a Fonte de Santiago e a Fonte do Largo Carlos Amarante.

©2021 MAIS GUIMARÃES - Super8

Publicidade

Fazer login com suas credenciais

Esqueceu sua senha?