Supercomputador vai para edifício que era da Farfetch

Supercomputador, Deucalion, que se foi anunciado para ser instalado no Parque de Ciência e Tecnologia, irá ocupar um edifício onde a Farfetch tinha escritórios. A empresa tem vindo a transferir funcionários da sua base original em Guimarães para instalações em Matosinhos e na avenida do Boavista, no Porto, por isso tem espaços desocupados no Avepark.

O memorando de entendimento entre a Câmara Municipal de Guimarães, a Fundação para a Ciência e Tecnologia e a Universidade do Minho, para a instalação, em Guimarães de centro de computação avançada – Minho Advanced Computing Center (MACC) – vai ser levado à próxima reunião do executivo camarário vimaranense, na segunda-feira, dia 21, para discussão.

Neste memorando que agora será posto à consideração da vereação, a Câmara Municipal de Guimarães, compromete-se a adquirir o lote 15 do Avepark, incluindo o imóvel que ali existe. Este é um edifício albergou escritórios da Farfetch, sendo composto por dois pisos com 1.344 metros quadrados cada e um piso subterrâneo, inicialmente projetado para servir como data center.  Pode ser esta particularidade que o torna o edifício interessante para instalar o Deucalion.

O memorando entre CMG, a FCT e a UMinho, não menciona valores, contudo, o imóvel está anunciado nas imobiliárias por valores entre 1 milhão e 800 mil euros e 1 milhão e 950 mil euros. Além deste edifício a Câmara de Guimarães deve ceder também o lote 18, do qual é proprietária, “nos termos e mediante um valor a acordar entre as partes”.

O Deucalion é capaz de realizar 10 mil biliões de operações por segundo. O supercomputador tem uma massa de aproximadamente 26 toneladas e uma dissipação de 1,7 megawatts de potência elétrica. Por outras palavras, vai precisar de condições especialmente adaptadas para a sua instalação e operação.




“A instalação deste supercomputador contribuirá decisivamente para a participação de Portugal em atividades de ciência e inovação de excelência, que envolvam processos de cálculo e tratamento de dados muito exigentes”, lê-se no memorando tripartido que irá à reunião de Câmara.

A Universidade do Minho fica responsável pela elaboração e apresentação da candidatura ao concurso de financiamento ao Sistema de Apoio à Investigação Científica e Tecnológica (SAICT) do Programa Operacional Regional do Norte 2020.

O prazo para a apresentação das candidaturas ao SAICT terminou no dia 30 de outubro e, segundo o Aviso para Apresentação de Candidaturas ao SAICT/2020, a decisão fundamentada sobre as candidaturas é proferida pela Autoridade de Gestão do Norte 2020 no prazo de 60 dias úteis, o que aponta para os últimos dias de janeiro de 2021.

©2021 MAIS GUIMARÃES - Super8

Publicidade

Fazer login com suas credenciais

Esqueceu sua senha?