Vizela, Felgueiras e Fafe exigem no Parlamento solução para poluição no rio Vizela

Os Presidentes dos Municípios de Vizela, Fafe e Felgueiras questionaram ontem, 29 de setembro, na Assembleia da República, sobre a poluição do Rio Vizela, exigindo uma solução.

Os autarcas foram ouvidos numa audição sobre o tema na Comissão de Ambiente, Energia e Ordenamento do Território, uma vez que necessitam de uma solução técnica eficaz que acabe definitivamente com o problema da poluição do rio Vizela.

O presidente da Câmara de Vizela, Vitor Hugo Salgado, apresentou o dossier que reuniu sobre o problema em questão, incluindo fotografias, análises à água e vídeos que comprovam que o foco de poluição vem das emissões poluentes da ETAR lançadas para o rio Vizela.

Na sua perspetiva, a solução pode passar pela construção de um emissário que ligue a ETAR de Serzedo, em Guimarães, à ETAR de Lordelo, no mesmo concelho, de acordo com um projeto já executado, mas para o qual ainda não há financiamento. Outra sugestão passa pelo aumento da capacidade tecnológica das estações de tratamento e da sua qualidade para “depois fazer a descarga em condições para o rio”.

Em declarações à Lusa, o presidente da Câmara de Fafe, Raul Cunha, recordou que a poluição no rio Vizela é um problema transversal a vários municípios, porque se trata do principal afluente do rio Ave. Também para Raul Cunha, o problema está na ETAR de Serzedo e que a solução também passa por ligar as duas estações de tratamento de águas residuais, contudo afirma que essa opção nunca pode passar por transferir o problema para outro município.

O presidente da Câmara de felgueiras, Nuno Fonseca, também se mostrou preocupado com o funcionamento da ETAR de Serzedo, para onde drena parte dos esgotos do concelho, recordado que estava prevista uma construção de um emissário, na margem esquerda (lado de Felgueiras), mas que nunca aconteceu.

Na sua opinião esse emissário seria essencial e ajudaria a resolver o problema dos afluentes naquele ponto do rio e, também, facilitaria os investimentos que o município tem vindo a realizar ao nível do saneamento básico.

André Coelho Lima, deputado do PSD de Guimarães na Assembleia da República questionou os presidentes de câmara sobre que ações em concreto foram tomadas desde a aprovação e publicação do plano de ação de despoluição do rio Vizela, e Domingos Bragança responde que candidatura a cidade verde “consciencializou muito os cidadãos”. Recentemente foi, também, definida uma agenda ambiental 2030 que inclui parcerias com as Universidades do Minho e Trás-os-Montes, escolas e Juntas de Freguesias.

©2022 MAIS GUIMARÃES - Super8

Publicidade

Fazer login com suas credenciais

Esqueceu sua senha?