CONTAGEM DECRESCENTE PARA O RALI DE PORTUGAL

A 51.ª edição do Rali de Portugal está a chegar à estrada. A prova portuguesa do WRC vai trazer muitos aficionados pelo desporto automóvel, seja ao vivo ou pelos meios de comunicação, e um impacto para a economia local de 3,5 milhões de euros, colocando o Norte no topo do crescimento turístico nacional.

A edição de 2017 do Rali de Portugal, que se vai disputar entre 18 e 21 de maio, não vai ter quilómetros na cidade-berço, mas isso não implica que o município passe
ao lado do evento. Guimarães dará mais uma vez o tiro de partida, com o castelo como pano de fundo, e servirá igualmente, pelo terceiro ano consecutivo, de
berço do Rali de Portugal, com a cerimónia de partida a decorrer no Campo de São Mamede, de onde sairão os carros para desfile pelas ruas da cidade e a habitual sessão de autógrafos com os pilotos.
O vereador responsável pelo desporto, Amadeu Portilha, revelou que a cidade não tem condições de acolher a prova porque “não tem troços adaptados” para um rali destas caraterísticas, mas tem um cenário “absolutamente fantástico” para abertura
oficial desta prova, permitindo que o “circo” do rali em Guimarães chegue a todo o lado pelas televisões.
“Espero mais uma belíssima jornada no coração do Norte, local de onde nunca devia ter saído, pois aqui é a capital dos amantes do rali. Fundamentalmente que resulte na projeção de Guimarães”, referiu.
O responsável municipal salientou ainda que, tal como no ano passado, num só dia, a presença do rali vai ter um impacto na economia local de 3,5 milhões de euros, um número que considera “significativo”, tendo em conta que o investimento para receber a prova foi de 50 mil euros.

Saiba mais na edição impressa do Mais Guimarães desta terça-feira.

0 Comentários

Envie uma Resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

*

©2017 MAIS GUIMARÃES - Super8

Fazer login com suas credenciais

Esqueceu sua senha?