As histórias de quem passou pelo Westway LAB moram em curtos vídeos

© A Oficina

Em meados de março último, A Oficina anunciou o adiamento do Westway LAB para outubro. O certame, que proporciona um encontro internacional de profissionais da música em Guimarães, estava agendado para abril. Enquanto o outono não chega e perante uma primavera atípica, o festival vimaranense quer proporcionar outros encontros. Assim, através de vídeos com “testemunhos de alguns dos artistas que estiveram envolvidos nas Residências Artísticas” ao longo das seis edições do festival, o Westway LAB quer contornar o distanciamento físico inerente à pandemia.

Esses vídeos serão lançados durante os meses de maio e junho e neles poder-se-á ouvir (e ver) as histórias que LINCE, :PAPERCUTZ, Yosune, We Bless This Mess ou The Courettes têm para contar sobre a sua passagem pelo festival e nas residências artísticas realizadas. Os artistas convidados já começaram e continuarão, até junho, a desfiar memórias da sua passagem por Guimarães. Os vídeos estão a ser publicados nas redes sociais do certame e do Centro Cultural Vila Flor.

O objetivo, lê-se em comunicado d’ A Oficina, é “trazer para um primeiro plano uma ideia de construção de uma verdadeira comunidade” e “criar possíveis trajetórias para a criação de novos projetos coletivos”.

A divulgação do programa completo do Westway Lab estava prevista para março, mas já se conheciam alguns nomes do cartaz, como Mão Morta (em versão Redux) ou Rob Challice, agente de artistas como Bon Iver. O festival terá lugar de 14 a 17 de outubro.   

©2020 MAIS GUIMARÃES - Super8

Fazer login com suas credenciais

Esqueceu sua senha?